Por que guerra da Ucrânia e Rússia pode explodir preço do pão e da gasolina no Brasil?

Engana-se quem pensa que uma guerra entre Rússia e Ucrânia não teria fortíssimos impactos na economia mundial, incluindo o Brasil

de Redação Jornal Ciência 0

Como sabemos, as tensões entre Ucrânia e Rússia aumentam e geram impactos na Europa e nos Estados Unidos que tentam apaziguar os ânimos ameaçando impor sanções severas caso a Rússia prossiga.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Mas, o que aconteceria com os preços de alguns produtos se uma guerra entre os dois países, de fato, ocorresse?

Para começar, de acordo com dados da Folha de SP, mesmo ficando atrás dos EUA, Brasil e Argentina, a Ucrânia vende 17% do milho do mercado mundial. Rússia e Ucrânia, juntas, exportam 30% do trigo que é consumido em todo o planeta.

Parece pouco, mas isso é suficiente para uma verdadeira “tragédia” no valor dos produtos derivados destas commodities — termo em inglês usado para bens em estado bruto de característica primária, como café, soja, milho, trigo, petróleo, etc.

Além disso, 25% do petróleo consumido pela União Europeia e 47% do gás (muito usado em países frios para o aquecimento de casas) vem da Rússia. O maior país do mundo ainda exporta cerca de 11% do petróleo consumido no mundo.

Se a Rússia declarar uma guerra e os EUA impuserem sanções extremamente duras como prometido por Joe Biden, isso pode impedir que bens de consumo como grãos da Ucrânia saiam pelo mar, o que faria o valor dos grãos subirem no planeta.

Soldados ucranianos tentam defender o país com baixa tecnologia e armamentos militares ultrapassados da época da Guerra Fria. Foto: Reprodução / Flickr

A Rússia, em revolta contra as possíveis sanções pesadas dos EUA, poderia deixar de fornecer gás e petróleo para a União Europeia, o que faria o preço dos combustíveis explodirem.

Alguns economistas acreditam que o litro da gasolina no Brasil poderia ultrapassar os R$ 10,00!

Especialistas em exportação de grãos estão preocupados com o baixo desempenho na produção de soja e milho de países como Brasil e Argentina na safra atual, ocasionada pelo mau tempo — isso por si só já eleva o preço no mercado mundial.

Na semana passada, os EUA ameaçaram literalmente “bloquear” o dinheiro dos gigantescos oligarcas russos e das estatais do país eslavo para prejudicar os bancos rivavis. Isso seria uma medida extrema, tentar “quebrar as pernas” da Rússia no cenário econômico. Mas, isso teria impactos para todo o planeta e não somente para os países envolvidos.

Nesta terça-feira (22/02), após Putin declarar que reconhece as províncias de Donetsk e Lugansk, do Leste da Ucrânia, como “repúblicas populares”, o preço do barril de petróleo abriu alta e está sendo negociado acima dos US$ 95!

O trigo, que reflete diretamente as consequências da crise, abriu esta manhã com 2,57% de alta, e a soja abre com 1,71% acima do esperado, de acordo com o Money Times.

Caso a crise permaneça ou a Rússia avance sobre a Ucrânia, somado as possíveis sanções norte-americanas, o preço de itens básicos da alimentação como trigo (macarrão, pão, biscoitos, bolacha…), milho, soja, gasolina, etanol, etc, podem subir e ter impactos ainda mais significativos no Brasil.

Desde o começo da crise, o preço da energia na Europa subiu 10%. Vamos esperar para ver as cenas dos próximos capítulos nesta verdadeira guerra de poder entre EUA, Ucrânia, União Europeia e Rússia.

Fonte(s): Money Times  / Folha de SP Imagens: Reprodução / FreePic / Flickr

Jornal Ciência