Medetomidina: Nova mistura da “droga zumbi” é 200x mais potente e causa surtos de overdoses nos EUA

de OTTO HESENDORFF 0

Uma nova droga de rua, ainda mais mortal que a Xilazina, está causando overdoses nos Estados Unidos.

A Medetomidina, um potente tranquilizante animal utilizado em cães e gatos, tem sido apontada como a responsável por uma série de mortes em Chicago neste mês e foi identificada em suprimentos de drogas em outros oito estados.

Semelhante à Xilazina, a Medetomidina está sendo misturada com Fentanil e outras substâncias ilícitas para criar coquetéis extremamente perigosos.

No entanto, autoridades estimam que a Medetomidina seja 200 vezes mais potente que a Xilazina, levando a efeitos colaterais graves, incluindo um estado “zumbificado” nos usuários.

Apenas 5 miligramas de Medetomidina custam cerca de R$ 215, sendo produzida pela Orion Pharmacy e distribuída pela Pfizer. Frequentemente, ela é combinada com fentanil porque, quando misturada com opioides e outras substâncias, amplifica significativamente os efeitos sedativos de cada droga, fazendo com que usuários a percebam como uma droga mais potente.

A Medetomidina, em estudos em animais, indicam que a droga inicialmente reduz a pressão arterial e desacelera a frequência cardíaca, aumentando o risco de anomalias no ritmo cardíaco. Em dosagens elevadas, pode causar insuficiência cardíaca, parada cardíaca ou morte súbita.

Por não ser um opioide, a Medetomidina não responde a Naloxona, o medicamento mais comum para reverter overdoses de opioides. No entanto, as autoridades recomendam o uso de Naloxona se houver suspeita de overdose, pois a Medetomidina é quase sempre usada junto com opioides.

Além dos efeitos sedativos e alucinações, a Medetomidina desacelera as funções neurológicas, resultando em confusão e letargia, além de sintomas típicos de overdose por opioides, como respiração superficial e pupilas pequenas. Seus efeitos são considerados mais duradouros que os da Xilazina.

A Medetomidina foi detectada em amostras de drogas apreendidas nos EUA em julho de 2022, a substância também foi descoberta em apreensões de laboratórios clandestinos em Ohio, Flórida e Canadá, sugerindo que pode estar sendo importada.

Bertha Madras, pesquisadora de drogas na Harvard Medical School, disse à NPR que está preocupada com cartéis mexicanos e gangues de drogas nos EUA, que estão criando combinações de drogas sintéticas poderosas.

Até as overdoses entre 11 e 14 de maio, quando amostras de drogas testaram positivo para altos níveis de Medetomidina, autoridades de saúde de Chicago disseram que a medetomidina não havia sido detectada anteriormente no estado.

Em março de 2023, a Administração de Controle de Drogas dos EUA (DEA) soou o alarme sobre a Xilazina, um outro sedativo animal não aprovado para uso humano.

Conhecida como “Tranq”, a Xilazina é usada por traficantes como um agente barato que aumenta os efeitos do Fentanil e outras drogas, dando a impressão de que as drogas estão mais potentes.

No entanto, seus efeitos sedativos transformam os usuários em zumbis e causam feridas dolorosas, que podem levar à amputação em casos extremos. Dados recentes do CDC mostraram que o número de overdoses fatais nos EUA foi de 107.500 até dezembro de 2023.

©Todos os direitos reservados. Proibida a cópia e reprodução sem autorização da PLUG Network.

Fonte(s): Daily Mail Capa: Reprodução / Redes Sociais

Jornal Ciência