Para salvar cães e gatos abandonados, voluntário arrisca vida em viagens à Ucrânia para trazê-los à Polônia

Uma única pessoa de uma ONG, fundada em março, viaja à Ucrânia dezenas de vezes por semana para resgatar animais abandonados e trazê-los à Polônia

de Redação Jornal Ciência 0

Voluntário de uma ONG arrisca sua vida e faz viagens perigosas para a Ucrânia, em meio à guerra, e já resgatou mais de 550 animais de estimação, entre cães e gatos, trazendo-os em segurança para a Polônia. 

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

A Animal Rescue Ukraine, uma ONG fundada no início de março, é composta por Patrick Westrup, 31 anos, ex-guarda da realeza britânica vivendo em abrigo na Polônia, e Joel Brejner, 39 anos, que está na Dinamarca, mas gerencia à distância a logística do transporte desses animais

Patrick, que vive em um acampamento perto da cidade de Medyka, viaja para a Ucrânia várias vezes por semana para resgatar cães e gatos e trazê-los à Polônia.

Patrick dirige caminhões para a Ucrânia com centenas de quilos de ração animal e volta para a Polônia com o máximo de animais que consegue recolher, embora algumas pessoas pedem para embarcar na van e são atendidas.

O foco central da Animal Rescue Ukraine são os animais, mas em algumas das viagens, Patrick também realiza ações humanitárias permitindo que pessoas que precisam de cuidados médicos possam embarcar.

Desde a sua criação, a minúscula organização já conseguiu retirar mais de 3.000 pessoas da Ucrânia com a saúde debilitada, além de uma enorme quantidade de cães e gatos que, além de abandonados, estão famintos ou próximos de morrer de fome.

A Animal Rescue Ukraine obtém animais de estimação de abrigos em todo o país, seja por meio de denúncias da comunidade de voluntários do acampamento onde está localizado ou sendo diretamente contatado pelas redes sociais ou por telefone.

Os animais são mantidos no acampamento na Polônia de 5 a 10 dias, onde passam por exames médicos antes de serem enviados para uma enorme fazenda no oeste da Polônia, onde são cuidados e aguardam adoção. Impressionantemente, a ONG também mantém um abrigo temporário em Lviv, onde os animais podem ser alojados, recebendo água e ração abundante, antes de serem levados para a Polônia.

A pequena ONG trabalha em colaboração com a Centaurus, uma fundação mais sólida e de maior porte, estabelecida e bem conectada, que está tentando encontrar casas e famílias que queiram adotar os animais.

A Centaurus também fornece o transporte e fundos para que o grupo possa fazer suas viagens à Ucrânia. No momento, apenas Patrick é o responsável por arriscar sua vida e fazer as viagens semanais até o território em guerra.

No futuro, Animal Rescue Ukraine irá criar um site através do qual os animais poderão ser encontrados por seus donos verdadeiros ou que sejam adotados por novos donos. A Centaurus também está no comando desta missão dando total suporte para a pequena ONG.

Patrick Westrup está vivendo em um acampamento feito de contêineres, sem água corrente. Ele viaja à Ucrânia várias vezes por semana para abastecer não somente o abrigo da organização, mas todos os abrigos de animais do país que for possível, levando centenas de quilos de ração.

O jornal britânico The Independent conversou com Patrick quando estava em sua primeira viagem para Kharkiv, leste da Ucrânia. Sua missão era levar comida para um casal que tinha cavalos, mas estavam completamente sem comida.

“Ontem, entrei em contato com pessoas que têm alguns cavalos em Kharkiv, mas não têm comida para eles. No momento, eles estão tentando evacuá-los para uma vila a 150 quilômetros, a oeste de Kharkiv. Estou indo até lá para entregar comida aos cavalos, tenho 700 kg no caminhão”, disse Patricks quando iniciou sua jornada em março.

Este é o ponto mais profundo que a organização já esteve na zona de combate, mas Patrick permanece calmo e diz: “Existem muitos postos de controle. Estou bastante confiante de que os soldados ucranianos me manterão seguro”.

A organização faz o possível para evitar áreas onde possa encontrar forças russas de frente. Isso não significa que eles estão longe de áreas possivelmente tomadas, embora, mesmo depois que a batalha de Kiev amenizou, Patrick estava perto o suficiente para ouvir tiros e bombas.

Para a ONG, o papel do resgate de animais na Ucrânia e organizações semelhantes na manutenção do bem-estar animal no país é vital, pois os animais são indefesos e dependem de nós para sobreviver e comer.

“Nós somos cruciais para eles; é tão difícil para eles conseguir comida. É fundamental que alguém venha e entregue comida para eles”, ressaltou Patrick, relembrando que mesmo as pessoas que ficaram no país com seus animais, não têm dinheiro para comprar ração ou não encontram locais para comprar alimento para animais.

Patrick disse que, pelo caminho, encontra abrigos severamente superpovoados, lutando para manter os animais alimentados e saudáveis. Sem a ajuda da ONG, levando comida várias vezes por semana, milhares de animais teriam morrido de fome. Patrick aproveita a viagem e leva cartas e cartões de ucranianos que estão na Polônia, além de cestas básicas que a ONG doa às pessoas.  

Além das pequenas doações da Centaurus, Joel (na Dinamarca) e Patrick, têm financiado a maior parte de suas operações por conta própria.

À medida que a guerra continua, está se tornando cada vez mais difícil manter a ONG. Com o passar do tempo, as doações de voluntários estão diminuindo lentamente, o que preocupa a Animal Rescue Ukraine.

Fonte(s): The Independent Imagens: Reprodução / Animal Rescue Ukraine

Jornal Ciência

no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Obs: É necessário salvar nosso número e enviar “olá” para validar o cadastro. São milhares de leitores. Aproveite. É grátis!

Jornal Ciência