Asma é a inflamação crônica das vias aéreas e respiratórias. O pulmão de uma pessoa com asma possui brônquios mais sensíveis e inflamados em relação ao pulmão de uma pessoa sem essa condição.

 

O organismo de um asmático identifica os agentes inflamatórios e faz com que a musculatura envolta ao brônquio se contraia, fechando o órgão e consequentemente impedindo que o ar entre nos pulmões.

 

O tratamento da asma consiste em medicamentos broncodilatadores, mas na Índia, um ritual religioso realiza um tratamento não convencional. Em alguns lugares do país, peixes são engolidos ainda vivos como prática terapêutica para a doença. Pessoas asmáticas se reúnem na cidade ao sul de Hyderabad, todos os anos no mês de junho para engolir um peixe com uma pasta de ervas na expectativa de que isso ajude com o problema da asma. A família Goud, que é responsável pelo ritual, faz a receita secreta da pasta de ervas que recheia o peixe, que segundo ela, foi enviada por um santo hindu em 1845.

 

O peixe engolido pelas pessoas é uma variedade da sardinha conhecida como Channa striata e tem aproximadamente 5 centímetros de comprimento.  Ainda segundo a família Goud, o ritual cura asma e outras doenças respiratórias. O tratamento deve ser realizado durantes três anos seguidos e o paciente deve fazer uma dieta rigorosa durante 45 dias.

 

O tratamento é oferecido gratuitamente pela família. A comunidade médica é contra este tipo de intervenção pois, segundo eles, não existe embasamento científico e, além de ser anti-higiênico, viola os direitos humanos e dos animais. Mesmo com os argumentos dos médicos, muitas pessoas ainda procuram este tipo de tratamento na Índia.Confira o vídeo do momento quando os peixes são lambuzados com a pasta de ervas e enfiados na boca das pessoas:

[ Diário de Biologia ] [ Fotos: Reprodução / Diário de Biologia ]

Jornal Ciência