Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Homem morre após ser sugado por máquina de Ressonância Magnética

de Merelyn Cerqueira 0

Rajesh Maruti Maru, de 32 anos, morreu no último sábado (27), no Hospital Municipal BYL Nair, em Mumbai, na Índia, após ser sugado por uma máquina de Ressonância Magnética.

Ele entrou na sala de exames portando um cilindro metálico de oxigênio, acreditando que a máquina estaria desligada.

No entanto, a força magnética do aparelho acabou sugando-o, de modo que o cilindro se abriu empurrando grandes quantidades de oxigênio para seus pulmões. As informações são do The India Express.

homem-morre-sugado_1

Rajesh deu entrada no hospital por volta das 20h30, para realizar um exame. Quando se encaminhou para a sala de Ressonância Magnética, aparentemente, foi avisado por um dos funcionários que a máquina estava desligada e podia entrar. “A força magnética da máquina o sugou”, disse o Dr. Ramesh Bharmal, diretor do hospital.

Segundo ele, os funcionários afirmaram que o botão do cilindro se abriu quando Maru foi puxando o objeto “concorrendo” com a força magnética, provocando o vazamento do oxigênio para dentro de seu corpo.

homem-morre-sugado_2

A família da vítima, por outro lado, alega que ele foi avisado para que não deixasse o cilindro para fora da sala e, portanto, ninguém tentou impedi-lo de entrar com o objeto.

“Ao invés de assumirem a responsabilidade, os funcionários do hospital nos repreenderam para que Rajesh ficasse perto da máquina de ressonância magnética com o cilindro na mão”, disse a irmã de Maru, Priyanka Solanki, que também estava presente na sala durante o exame.

Ela alegou ainda que os funcionários sequer verificaram se a máquina estava ligada quando Maru se aproximou. Os funcionários, por outro lado, atestam que apenas a mão do paciente teria ficado presa à máquina, de modo que ele foi liberado e socorrido, morrendo 10 minutos depois.

Entretanto, exames de post-mortem revelaram que ele teria morrido de pneumotórax (também conhecido como pulmão colapsado), uma condição caracterizada pelo excesso de ar na pleura dos pulmões.

“A quantidade excessiva de oxigênio entrou em seu corpo através do cilindro, o que é prejudicial. Ele parecia ter morrido instantaneamente por causa disso. Além disso, havia marcas de lesões em ambas as mãos”, disse um médico legista.

Normalmente, quando um paciente está prestes a fazer um exame de ressonância magnética, é avisado para remover joias ou outros itens que possam ser atraídos pela carga magnética da máquina, que é extremamente poderosa.

“Ninguém nos deu instruções. Como íamos saber o que fazer?”, disse Priyanka. Já para o cunhado da vítima, Harish Solanki, o hospital deve ser responsabilizado pela morte.

A polícia registrou o caso como “morte por negligência”, e prendeu três médicos envolvidos. De acordo com o ministro de Maharashtra, Devendra Fadnavis, a família será indenizada.

Fonte: The India Express Fotos: Reprodução / The India Express

Jornal Ciência