Rússia afirma ter registrado a primeira vacina do mundo contra o coronavírus

O presidente Vladimir Putin confirmou a informação. A Rússia detém agora o título de primeiro país do mundo a ter a vacina que impede a Covid-19.

de Osmairo Valverde 0

A Rússia acaba de aprovar o que seria a primeira vacina do mundo contra o novo coronavírus, causador da doença Covid-19. Putin confirmou a informação durante uma reunião oficial de governo.

Segundo ele, o Instituto Gamaleya, da capital Moscou, foi o responsável pela pesquisa. Apesar de ter passado por menos de 2 meses de testes em humanos, a vacina foi aprovada.

Para dar mais “credibilidade”, Putin disse que uma de suas filhas está entre as pessoas que já tomaram a nova vacina, mostrando total confiança nos resultados.

A aprovação oficial do país abre caminho para que a vacina possa ser produzida na Rússia em larga escala e aplicada na população, mesmo antes dos estágios finais dos testes clínicos serem concluídos. Isso deixa a comunidade científica em alerta e preocupada sobre possíveis riscos à saúde.

O próximo passo da vacina será o chamado ensaio clínico de Fase III – onde milhares de pessoas são vacinadas, algumas com placebo e outras com a vacina verdadeira – para assegurar a eficácia em massa. Mas, por já ter sido aprovada, em teoria o país já pode fazer a aplicação, mesmo não tendo concluído esta fase.


“Eu sei que ela funciona com bastante eficácia, forma uma forte imunidade e, repito, ela passou em todos os testes necessários”, afirmou Putin. Para ele este é “um passo muito importante para o mundo”, agradecendo a todos os cientistas de Moscou pelo desenvolvimento.


Putin não disse qual de suas filhas recebeu a vacina, mas disse que após receber a segunda dose da vacina, teve uma ligeira febre passageira, e agora os exames mostram que ela possui um “alto número de anticorpos”.

Os profissionais da saúde do país também participaram do estudo como voluntários nos testes. A Rússia disse que irá produzir em grande escala a vacina em setembro e pretende iniciar uma vacinação em massa já em outubro, sendo o primeiro país a conseguir isso.

Preocupação mundial

Pesquisas de opinião em várias partes do mundo, de acordo com o jornal britânico Metro, mostram que existe uma crescente desconfiança das pessoas sobre a velocidade que as vacinas estão sendo pesquisadas. Muitos temem que o preço da imunização extremamente rápida possa vir com riscos que talvez não estejam sendo observados adequadamente.

Mas, os principais agentes de saúde de todo o mundo, como o Dr. Anthony Fauci, um dos maiores especialistas dos EUA em doenças infecciosas, afirmou que a aprovação de uma vacina é baseada em dados científicos que demonstram “segurança e eficácia”.


Na semana passada, Fauci comentou: “Espero que os chineses e os russos estejam realmente testando uma vacina antes de aplicá-la a qualquer pessoa, porque as alegações de ter uma vacina pronta para distribuir antes de fazer os testes, eu acho que é problemático, na melhor das hipóteses”.


Lawrence Gostin, da Universidade de Georgetown, nos EUA, demonstrou forte preocupação com o fato da Rússia estar “abrindo um novo caminho” para ter uma vacina aprovada primeiro para só depois terminar os estudos. Para ele, isso representa “não apenas um risco de ineficácia, mas também de insegurança”.

“Não funciona assim. Os testes vêm primeiro. Isso é muito importante”, ressaltou o professor.

Fonte: Metro Fotos: Reprodução / Pixabay

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!