Vídeo de uma mulher acorrentada a uma parede viraliza nas redes sociais chinesas

As autoridades policiais locais, que investigam o caso, relatam que a mulher pode sofrer de esquizofrenia

de Redação Jornal Ciência 0

Um vídeo de uma mulher acorrentada à parede de uma casa recentemente tornou-se viral após ser publicado na Douyin, uma rede social chinesa dona do TikTok.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

O vídeo foi gravado por um blogueiro que visitou a casa para verificar as condições de saúde e em quais circunstâncias a senhora estava vivendo.

A mãe de 8 filhos foi trancada em um barraco do vilarejo com uma corrente no pescoço. O fato causou revolta entre os internautas do país que questionavam a brutalidade do ato.

O vídeo, publicado na última sexta-feira (28/01), mostrou que a senhora estava sem casaco, apesar do intenso frio da região, mas os filhos disseram ao blogueiro que levavam comida diariamente para ela. O blogueiro não aguentou a situação e deu um casaco para ela, afirmando: “O que essa mulher está passando nesse frio… onde foi parar a compaixão?”.

O fato ocorreu em Xuzhou, província de Jiangsu. Alguns internautas questionam quais foram as reais condições que ela passou para ficar grávida 8 vezes e como criou os filhos — o que levantou questionamentos de possível abuso ou escravidão sexual.

Após analisar as imagens, a polícia apenas identificou a mulher pelo seu sobrenome, Yang, moradora do município de Feng County Huankou. Segundo as autoridades, ela foi diagnosticada com uma doença mental — possivelmente esquizofrenia — e se casou em 1998 com um homem identificado apenas como “Dong”.

À BBC, a família informou que Yang sofre frequentemente de explosões violentas e fúria e por isso estaria acorrentada como medida preventiva. A mulher foi levada ao hospital para tratar seus problemas de ordem mental para que seja medicada e corretamente acompanhada.

Seu marido está sendo procurado pela polícia por ter sido o responsável por acorrentá-la, o que é crime na China. De acordo com o site de notícias What’s On Weibo, investigações adicionais mostraram que ela não foi vítima de tráfico humano e teria casado à época por livre vontade.

Fonte(s): Independent UK Imagens: Reprodução / Weibo

Jornal Ciência