Cientista finalmente resolveu o mistério sobre as ovelhas que andaram 12 dias em círculo

de Redação Jornal Ciência 0

Um cientista e especialista internacional parece finalmente ter resolvido o mistério sobre as ovelhas na Mongólia Interior, região da China, que andaram por 12 dias seguidos em círculo.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

O fenômeno ganhou notoriedade após o jornal estatal chinês People’s Daily divulgar o vídeo em seu perfil no Twitter, viralizando rapidamente.

Para Matt Bell, professor do Departamento de Agricultura da Hartpury University, em Gloucester, Inglaterra, o comportamento das ovelhas pode ter uma razão muito simples — apesar de ter deixado muitas pessoas intrigadas.

“Parece que as ovelhas ficam no curral por longos períodos, e isso pode levar a um comportamento estereotipado, com movimentos repetidos devido à frustração por estarem em um lugar pequeno e limitado”, disse Bell.

Ainda segundo o especialista, por serem animais de rebanho, elas acabam se juntando para “compartilhar” a frustração, e sentem que devem seguir o comportamento de seus semelhantes.

Como a fazenda possui 34 currais, mas apenas o curral número 13 apresentou o “fenômeno”, isso mostra que somente alguns animais deste curral não suportaram a pressão de estarem aprisionados por longos períodos, e iniciaram a caminhada em círculo.

As outras ovelhas, ao observarem o comportamento, instintivamente começam a repeti-lo, para demonstrar que estão unidas, mesmo que não saibam o que isso signifique.

Este comportamento social das ovelhas é chamado de mentalidade de rebanho — um tipo de autodefesa que os indivíduos têm para protegerem o grupo de predadores.

Isso permite que todo o grupo fuja do perigo, em caso de necessidade, e não somente alguns membros, de acordo com o Manual Veterinário Merck. Por terem esta mentalidade, imitam outros membros do rebanho.

O movimento das ovelhas em forma de círculo começou dia 4 de novembro e permaneceu por 12 dias, mas não existem registros em vídeos se elas paravam para comer ou beber água, de acordo com o New York Post.

Alguns cientistas sugeriram anteriormente que o comportamento era provocado pela “doença circular”, uma infecção bacteriana denominada Listeriose — mas os animais estão perfeitamente saudáveis, descartando a hipótese.

Fonte(s): NY Post Imagem de Capa: Twitter

Jornal Ciência