“Não toquem em estrangeiros”: China cria polêmica ao dar recomendação contra varíola dos macacos

A recomendação pegou muitas pessoas de surpresa e criou polêmica na maior rede social do país, a Weibo, obrigando o governo a desativar os comentários

de Redação Jornal Ciência 0

De acordo com informações da agência alemã de notícias, Deutsche Welle e de diversos veículos asiáticos de mídia, essa foi a recomendação das autoridades de saúde da China.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Os epidemiologistas chineses pedem que os cidadãos evitem qualquer contato físico com qualquer estrangeiro. Segundo a mídia asiática, a orientação foi encarada como “absurda” e houve ridicularização das medidas nas redes sociais por não existir base científica que justifique tal ação.

Na última sexta-feira (16/09), surgiu o primeiro caso de varíola dos macacos no país, em um paciente que viajou do exterior para Chongqing, sul da China.

Após isso, o chefe de epidemiologia do Centro Chinês de Controle e Prevenção de Doenças, Wu Zunyou, foi no sábado (17/09), publicar na conta oficial da Weibo — rede social chinesa com mais de 500 milhões de usuários, parecida com o Twitter, só que censurada — dar 5 dicas de como evitar a varíola dos macacos.

A primeira dica da lista era não tocar em estrangeiros, não ter contato direto, pele a pele. Logo após a recomendação polêmica, as redes sociais foram inundadas com acusações contra o governo chinês, ridicularizando a medida, chamando-a de “racista e discriminatória”.

A publicação com as recomendações foi compartilhada nas mais diversas mídias sociais e meios de comunicação do governo, ao longo de todo o fim de semana, mas as reações negativas extremas obrigaram o governo a desativar os comentários nas postagens.

De acordo com o South China Morning Post, de Hong Kong, automaticamente as recomendações foram encaradas como racistas e com visível cunho discriminatório.

Isso teve reação por parte da população que está cansada e mentalmente abalada com as intermináveis medidas de isolamento impostas pela China nas últimas semanas, na tentativa de controlar casos de Covid-19 em algumas cidades do país.

“No início da pandemia, alguns amigos estrangeiros usaram as mídias sociais para dizer a todos que nós chineses não somos um vírus”, dizia um usuário em um dos comentários na Weibo com a maior quantidade de curtidas, respondendo ao post com as medidas oficiais.

Outros acrescentaram que a recomendação era extremamente inadequada e que os chineses não deveriam se calar, quando muitos estrangeiros já enfrentam discriminação no país.

“Não é necessário rejeitar todos os estrangeiros ou imigrantes, já que a maioria das pessoas não é suscetível à varíola dos macacos”, disse um especialista em doenças infecciosas ao portal de notícias Yicai, de acordo com a DW.

Fonte(s): Bio Bio / BBC Imagens: Reprodução / Express UK

Jornal Ciência