Céu fica “cor de sangue” na China e pessoas entram em desespero; entenda o que ocorreu

de Redação Jornal Ciência 0

Padrões meteorológicos estranhos causaram pânico em pessoas de parte da China depois que o céu adquiriu coloração vermelha, assemelhando-se com “cor de sangue”.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Alguns temiam que houvesse um incêndio fora de controle nas proximidades, enquanto outros presumiam ser um tipo de “sinal apocalíptico”.

Meteorologistas em Zhoushan, no leste da China, lutaram para descobrir o que estava causando o assustador céu escarlate. Após intensa pesquisa que envolveu vários cientistas, a resposta para o céu vermelho não era o início do Apocalipse e não estava relacionado com incêndios florestais, de acordo com informações do jornal britânico Daily Mail.

Aparentemente, o céu brilhante assustador era, na verdade, uma combinação única de nuvens muito baixas emparelhadas com a refração da luz dos barcos do porto local.

“Quando as condições climáticas são boas, mais água na atmosfera forma aerossóis que refratam e dispersam a luz dos barcos de pesca e criam o céu vermelho visto pelo público”, disse o departamento meteorológico do país ao site de notícias Global Times.

A internet foi tomada pelos vídeos, publicados nas principais redes sociais chinesas, especialmente a Douyin (uma versão do TikTok), alarmando para “o começo do fim”. Moradores da cidade de Zhoushan postaram fotos e vídeos que repercutiram e viralizaram pelo mundo.

Em menos de 24 horas, 150 milhões de pessoas viram os vídeos e fotos nas redes sociais chinesas. As imagens estavam na capa dos principais jornais on-line.

Cientistas investigadores de outros países acreditam que possa existir partículas suspensas na atmosfera vindas da erupção vulcânica de Tonga, em 2022, considerada a maior explosão vulcânica do século 21, o que pode ter contribuído para a refração da luz.

Cientistas aproveitaram para comentar que o céu ficar totalmente vermelho já aconteceu antes, por 9 dias seguidos, em 1770 — mas por outro motivo, diferentemente do evento atual.  Embora seja um padrão climático considerado extremo, os cientistas viram o fenômeno ocorrer em 1770, devido a um alto nível de atividade das auroras.

De acordo com o site científico Live Science, especialistas vasculharam centenas de documentos históricos para descobrir evidências de que estranhas auroras vermelhas foram observadas em todo o leste da Ásia, em 1770.

Mas, especialistas em física espacial, da Universidade de Geociências, da China, disseram à mídia que não havia anomalias solares e geomagnéticas na noite do último domingo (08/05), na cidade de Zhoushan, descartando estar relacionado com o fenômeno das auroras vermelhas ocorridas em 1770.

Fonte(s): Daily Mail / LAD Bible Imagens: Reprodução / Redes Sociais

Jornal Ciência

no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Obs: É necessário salvar nosso número e enviar “olá” para validar o cadastro. São milhares de leitores. Aproveite. É grátis!

Jornal Ciência