TOP 7 hábitos que indicam que você precisa buscar ajuda psicológica, mesmo que não queira!

de Merelyn Cerqueira 0

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que atualmente cerca de 350 milhões de pessoas no mundo vivam com depressão, e até 2020, poderá ser considerada a doença mais incapacitante do mundo.

Ela é capaz de afetar a autoestima, causar sentimentos de inferioridade, tristeza e pessimismo, podendo atingir pessoas em qualquer idade, desde adolescência ou idade avançada, e por diferentes motivos.

Segundo a ciência, ela altera os níveis de certos neurotransmissores no cérebro que regulam o humor, como a serotonina, noradrenalina e dopamina.

Embora muitas pessoas vejam o problema como algo trivial, ela é de fato considerada uma doença e requer tratamento especializado. Dito isso, na lista abaixo você confere sete hábitos associados ao problema e que requerem atenção médica.

1 – Fingir estar tudo bem

Muitas das vezes, para mascarar sintomas como tristeza, as pessoas costumam agir de maneira mais animada ou “normal”, uma vez que evitam sobrecarregar os outros com seus problemas e preocupações.

Logo, para esta “falsa alegria”, que é apenas uma forma de não incomodar, o melhor a se fazer é procurar ajudar e acreditar que você não está sozinho.

2 – Perder interesse em coisas que costumava gostar

Pessoas em depressão simplesmente perdem interesse em coisas que costumavam gostar, como caminhar, conversar, sair com os amigos, por exemplo. Isso ocorre por que deixa de ver um motivo para continuar fazê-lo.

3 – Excesso de conflitos existenciais

Neste caso, a pessoa em depressão costuma a pensar muito sobre a vida e morte, e passa a ver o mundo de uma maneira diferente, através de sua doença. Tenha em mente que nem todos na condição costumam ter pensamentos suicidas ou vontade de causar danos ao próprio corpo.

Obviamente que se este for o caso para você ou alguém que conhece, não hesite em buscar ajuda especializada.

4 – Expressão artística e a depressão

A depressão faz com que as pessoas se aproximem mais de suas próprias emoções, o que fomenta o estereótipo de que todo artista talentoso é depressivo. Arte é expressão, e a depressão pelo contrário não ajuda um artista. Tenha em mente os inúmeros casos de suicídio entre celebridades que vimos nos últimos anos.

5 – Mudança de hábitos alimentares

Neste caso, ou a pessoa come muito, ou muito pouco. Para o primeiro caso há um aumento de apetite, como se cada refeição fosse feita a mando da ansiedade. Já para o segundo, há perda do apetite, bem como o interesse em alimentos que outrora gostava.

6 – Sono irregular

Para este caso há a mesma situação da comida, aumento do sono ou a redução dele. Para o primeiro caso temos a hipersonia, quando o cansaço começa a aumentar e o hábito de dormir é visto como uma forma de escapar dos problemas.

Já para a insônia o caso é o contrário. A pessoa tende a rolar horas na cama, acordada e inquieta apenas remoendo os problemas.

7 – Esconder os problemas

Esconder os problemas é o mesmo que mascarar um sorriso. Na intenção de não incomodar ninguém, ou demonstrar sua vulnerabilidade, as pessoas em depressão tendem a contar histórias convincentes para esconder seus problemas.

Porque ainda há um estigma que envolve a condição, que é vista como “frescura” por muitos, as vítimas tendem a lidar com a doença sozinhas, o que é difícil, já que se tornam mentalmente incapacitadas.

Fonte: Guff Foto: Reprodução / Pixabay

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
error: Proibida a cópia sem autorização.