Por quanto tempo uma pessoa deve se exercitar de acordo com sua idade?

A atividade física ajuda a manter uma vida saudável e a prevenir ou controlar doenças. A Organização Mundial de Saúde estabeleceu o número de minutos dependendo da idade de cada indivíduo.

de Redação Jornal Ciência 0

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a atividade física é muito importante para o bem-estar das pessoas, pois beneficia o corpo e a mente.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Dentre as muitas qualidades do exercício, destaca-se a prevenção e controle de doenças não transmissíveis, reduz os sintomas de depressão e ajuda a melhorar o raciocínio.

Claro, deve-se levar em consideração que a intensidade com que você se exercita depende de fatores como idade, condição física e o tipo de movimento que a pessoa vai realizar, daí a importância da consulta com um especialista antes de realizar uma rotina.

Em relação ao nível de atividade diária de acordo com a idade, essas são algumas recomendações da OMS.

Menores de 5 anos

A organização explica que crianças muito pequenas não devem ficar em carrinhos ou cadeiras por mais de 1 hora, por isso aconselha que tenham momentos de movimento várias vezes ao dia com jogos interativos no chão.

Enquanto os bebês estão acordados, é importante que eles tenham pelo menos 30 minutos, repartidos ao longo do dia, com movimentos abdominais, por exemplo. Nos períodos de calmaria, é importante que os pais narrem contos e histórias para estimular o cérebro.

Crianças entre 1 e 4 anos, é imprescindível que tenham pelo menos 180 minutos de atividade física diversificada ao longo do dia. Da mesma forma, elas não devem passar mais de uma hora sentadas ou na frente de telas.

De 5 a 17 anos

Para a OMS, é fundamental que, dos 5 aos 17 anos, eles tenham 60 minutos de atividade física por dia durante a semana. Nesse sentido, a organização aconselha que eles desenvolvam atividades aeróbicas que os ajudem a fortalecer os ossos e músculos.

Embora possam assistir televisão e jogar videogame nessa idade, os pais devem limitar esse tempo. Este é um bom momento para brincar ao ar livre e desenvolver o companheirismo por meio de jogos em grupo.

Por outro lado, “na adolescência, após a maturação do sistema neuromuscular e hormonal, o desenvolvimento da força, da capacidade aeróbia e da eficiência nos gestos é potencializado” com a atividade física, explica o Unicef.

De 18 a 64 anos

Durante a juventude e na idade adulta, devem ser acumulados 150 a 300 minutos, de exercício aeróbico, de intensidade moderada por semana, ou pelo menos 75 a 150 minutos de atividade física aeróbica intensa. Você pode até fazer uma combinação equivalente de ambos.

Lembre-se de adicionar exercícios de fortalecimento muscular à sua rotina pelo menos duas vezes por semana para obter benefícios adicionais.

Se você vai iniciar uma rotina de exercícios, a OMS sugere que comece com pequenas doses de atividade, aumentando gradativamente sua duração, frequência e intensidade.

Lembre-se de que um estilo de vida sedentário está associado a uma maior mortalidade por todas as causas, mas principalmente por problemas cardiovasculares e câncer. Além disso, pode ser um fator de risco para doenças cardíacas e diabetes tipo 2.

Adultos com mais de 65 anos

Nesta faixa de idade, deve-se dar maior ênfase a atividades físicas variadas que auxiliem no equilíbrio funcional e na manutenção da força muscular. Esses exercícios devem ser feitos pelo menos três vezes por semana, embora o ideal seja fazê-los com mais frequência para evitar quedas.

Nessa idade, é vital diminuir as atividades sedentárias, é melhor substituí-las por caminhadas ou qualquer prática que o mantenha em movimento. Isso não só beneficia os ossos, músculos e articulações, mas também ajuda a memória.

Fonte(s): La Nación Imagens: Reprodução / Pixabay

Jornal Ciência

no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Obs: É necessário salvar nosso número e enviar “olá” para validar o cadastro. São milhares de leitores. Aproveite. É grátis!

Jornal Ciência