Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Rússia revela que cães geneticamente melhorados trabalharão nas Forças Especiais do país

de Merelyn Cerqueira 0

Agências de segurança da Rússia em breve irão testar cães especiais, da raça pastor-belga Malinois especialistas em detectar explosivos e drogas.

Os animais foram geneticamente modificados a partir de amostras genéticas de mamutes. O procedimento foi realizado por um professor sul-coreano, Dr. Hwang Woo Suk, que também tem a pretensão de um dia restaurar os mamutes na Sibéria. Os cães foram avaliados em 100 mil dólares cada e serão usados pela polícia e serviço secreto do FSB em Yakutia, de acordo com informações do jornal Daily Mail.

caes-geneticamente-melhorados-russia_01
Os cães serão usados pela polícia e serviço secreto do FSB em Yakutia, de acordo com informações do jornal Daily Mail. 

Considerada a região habitada mais fria do mundo – e que retém o maior número de tesouros biológicos – a Yakutia, ou República de Sakha, cedeu as amostras genéticas dos extintos mamutes lanudos encontrados preservados por milhares de anos no permafrost (gelo permanente). O objetivo do cientista era trazer de volta à vida os animais em seu habitat nativo.

caes-geneticamente-melhorados-russia_03
Eles estão entre os 500 cachorros clonados dos laboratórios Sooam Biotech em Seul, o primeiro centro de clonagem animal do mundo

Os cães foram revelados em uma exposição no Mammoth Museum, na capital da cidade. Eles foram entregues oficialmente à Sociedade Militar Histórica da Rússia, que os usará conforme o necessário em relação aos serviços e aplicações da lei.

caes-geneticamente-melhorados-russia_04
Os cães foram dados como um “presente para a Rússia” do laboratório sul-coreano.

De acordo com o diretor do museu, Semyon Grigoryev, os cães foram criados a partir de células dos melhores cães farejadores coreanos, a fim de transmitir suas habilidades únicas. Eles serão os primeiros animais de serviço geneticamente modificados do país, e estão entre os 500 cachorros clonados pelos laboratórios Sooam Biotech, de Seul, o primeiro do ramo no mundo.

São cães muito jovens”, explicou Grigoryev. “Na Coreia eles passaram por um treinamento básico, e agora os adestradores decidirão quais serão utilizados de acordo com habilidades específicas”.

A Sociedade Militar trabalha em cooperação com a polícia russa e serviços especiais, fornecendo cães conforme o necessário”, afirmou. “Sei que os instrutores geralmente gostam de farejadores de explosivos, então acho que esse é o campo onde os clonados serão mais utilizados”, disse ele acrescentando que os animais são “um presente” do laboratório sul-coreano para Rússia. No entanto, a clonagem ainda é vista como controversa por algumas autoridades, que alegam se tratar de uma interferência na ordem natural da vida.

A primeira atividade dos cães será de treinamento de linguagem, de acordo com Grigoryev. Até o momento eles só entendem ordens em coreano, mas poderão aprender um novo idioma.

[ Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / Daily Mail ]

Jornal Ciência