Por que cães ficam grudados no acasalamento? Separá-los à força pode causar danos à saúde

de Redação Jornal Ciência 0

Durante a cópula canina, é comum observarmos os cachorros “grudados”. Essa posição “estranha” para nós consiste na junção dos dois animais, virados em direções opostas, unidos pela região caudal.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Apesar de parecer um pouco desconfortável, essa é apenas uma das fases do acasalamento. No caso dos cães, a penetração ocorre ainda com o pênis flácido.

Esse ato só é possível porque eles possuem um osso que permite essa penetrabilidade através apenas da fricção. E é somente após isso que a ereção acontece.

Quando a ereção ocorre, um órgão chamado “bulbus glandis”, presente nos machos, se enche de sangue, e consequentemente, aumenta seu volume. Dessa forma, as cadelas possuem uma cérvix plana, que possui uma abertura na qual o ‘bulbo’ do macho irá se encaixar.

Contudo, esse preenchimento sanguíneo do bulbo só ocorre após a penetração. O sêmen dos cães é muito tênue e líquido.

copula-de-caes_01

A liberação do sêmen ocorre por gotejamento e possui baixa contagem de espermatozoides. Sendo assim, a anatomia do órgão sexual da cadela permite melhores chances de fecundação

Se você já tentou separar os cães enquanto estão “grudados”, pode ter notado que é uma tarefa inviável. Fazendo isso, além de desrespeitar o comportamento natural do animal, pode machucar e causar lesões graves, no macho e na fêmea, ao jogar água fria ou tentar separá-los usando a força

Eles ficam “grudados” porque, uma vez que o bulbo aumentou o seu volume dentro do canal genital da cadela, é praticamente impossível que eles sejam “desgrudados”. Qualquer tentativa forçada pode causar danos à saúde.

Alguns cães podem sofrer cortes e “rasgos” na vulva da cadela e no pênis do cão. Isso abre portas para infecções, dores intensas, hemorragias, inflamações e pode necessitar de atendimento veterinário especializado. Por isso, jamais tente separá-los!

Em suma, esse “grude” foi a forma que a natureza encontrou para minimizar a perda de esperma e aumentar as chances de fecundação por maior concentração de espermatozoides.

Como a ejaculação ocorre por gotejamento, essa fase pode demorar cerca de 30 minutos e só acaba quando o bulbo não estiver mais cheio de sangue, começando a retrair naturalmente, sem causar nenhum dano para macho e fêmea. Após isso, os cães estão livres e separam-se.

Fonte(s): Midogguide Imagens: Reprodução / Petkeen

Jornal Ciência

no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Obs: É necessário salvar nosso número e enviar “olá” para validar o cadastro. São milhares de leitores. Aproveite. É grátis!

Jornal Ciência