Rações de gatos e cachorros fazem mal à saúde humana?

de Merelyn Cerqueira 0

Entre os quase 29 milhões de lares brasileiros que possuem cachorros, além dos 11,5 milhões com gatos – segundo estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) feitas em 2013 – e correndo o risco de afirmar o óbvio, é bem improvável que as rações destinadas à alimentação animal estejam presentes em qualquer dieta humana. Entretanto, há quem já tenha experimentado essa “iguaria” pelo menos uma vez, por acidente ou curiosidade. E uma pergunta bastante válida sobre a ração animal é: ela faz mal à saúde humana?

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Historicamente falando, os animais de estimação acompanham os humanos há muito tempo. Quando os lobos passaram a conviver com os humanos, a fim de aproveitarem restos de comida, cerca de 19 mil e 32 mil anos atrás, os primeiros cães domesticáveis começaram a surgir.

Diferente disso, com os gatos, essa domesticação aconteceu bem mais tarde, entre 3 mil e 10 mil anos atrás.

racoes-de-gatos-e-cachorros_1
As rações caninas possuem alto teor de gordura

Acredita-se que, com o advento da agricultura, a estocagem de grãos atraía ratos e, consequentemente, os gatos entraram na convivência humana.

Enquanto as rações são feitas especialmente os animais, e imaginando um cenário apocalíptico em que só houvesse isso para comer, será que ficaríamos bem com esse tipo de dieta? Para uma resposta curta, e embora elas não sejam muito apetitosas, sim. Contudo, há ressalvas importantes.  

Por milhares de anos, cães e gatos evoluíram para adquirir certos traços e eliminar outros. Fisicamente falando, os cães domesticados de hoje possuem crânios menores, enquanto que suas patas e cérebros ainda são semelhantes aos de seus ancestrais lobos.

O comportamento também mudou ao longo do tempo. Agora eles são mais ativos durante o dia, diferente do passado, quando as noites eram mais favoráveis.

No caso dos gatos, eles estão muito menores do que os antepassados selvagens, mas as maiores mudanças foram no comportamento. Eles são mais dóceis e agora dependem da ajuda humana para alimentação.

racoes-de-gatos-e-cachorros_2
Gatos precisam de taurina, que é encontrada na carne; por isso, suas rações são caprichadas nessa substância

Dessa forma, todas essas mudanças resultaram em um estilo de vida mais sedentário, então os animais precisam de menos calorias e têm necessidades nutricionais ligeiramente diferentes dos antepassados, que basicamente viviam à base de carne crua. E isso nos leva às necessidades que possuem hoje.

Geralmente, às dos cães não são muito diferentes das nossas, com uma ressalva de que precisam de muito mais gorduras do que os seres humanos. Isso porque, ela é basicamente sua fonte de energia primária.

Entretanto, como são capazes produzir vitamina C naturalmente, ela não é adicionada à ração. Nos gatos, a carne é muito mais importante, devido à presença de um aminoácido chamado taurina encontrado apenas nas proteínas de origem animal, e que é essencial para a vida felina.

Em teoria, dadas as habilidades humanas de adaptação às mais diferentes dietas, podemos comer essas rações, porém, em quantidade limitada. Por exemplo, uma alta ingestão regular de vitamina A (presente nas comidas animais) pode causar uma infinidade de complicações graves e até mesmo fatais, especialmente em grávidas. Além disso, vale lembrar que esses alimentos não são produzidos para satisfazer as necessidades nutricionais humanas. Então, em suma, é possível se alimentar de rações, mas apenas por um certo tempo.

Fonte: Today I Found Out Fotos: Reprodução / Today I Found Out

Jornal Ciência