A evolução poderia explicar o comportamento solitário dos gatos

de Merelyn Cerqueira 0

Todo mundo sabe que os gatos tendem a ser mais solitários que os cachorros. O que pouca gente sabe é que esse tipo de comportamento pode ser explicado por razões evolutivas.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Tenha em mente que a vida em grupo é algo muito comum na natureza. Embora a vida em bando venha acompanhada de benefícios, ela pode não ser tão vantajosa para algumas espécies animais, especialmente os felinos.

O leopardo, por exemplo, que precisa se alimentar de 23 kg de carne em um determinado período de dias, vê nesse ajuntamento uma competição desnecessária e desvantajosa.

gatos-mais-caros_6

Os leões, por outro lado, que são a exceção à regra,veem na vida em bando uma série de vantagens, que vão desde proteção, reprodução, alimentação (já que uma caçada pode alimentar vários por vez) posicionamento social dentro de um grupo e questão territorial. 

Já os gatos domésticos, que caçam animais pequenos, não veem na divisão de alimentos um bom negócio. Tal característica solitária está tão impregnada na vida destes animais que nem mesmo a domesticação foi capaz de alterá-la.

Isso talvez ocorra porque eles não foram de fato domesticados pelo homem, mas se juntaram a ele para conseguir alimentos, proporcionando-lhes vantagens dentro da agricultura – como o controle de ratos, por exemplo. 

Considere que os gatos não são completamente antissociais, mas sim independentes, uma vez que a relação com outros animais e seres humanos dependem inteiramente desses felinos.

Fonte: Diário de Biologia Fotos: Reprodução / Diário de Biologia

Jornal Ciência