“Homem elefante” da China vive com tumor de 15kg no rosto

de Merelyn Cerqueira 0

Huang Chuncai, um chinês de 39 anos, desde os quatro anos sofre com uma condição chamada neurofibromatose. De acordo com informações do Daily Mail, acredita-se que este seja o caso mais extremo do mundo relacionado à doença. Por isso, há anos o homem tem sido tema de estudos médicos e documentários.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

homem-elefante_03

Conhecido como “O Homem Elefante da China”, em referência a Joseph Merrick, o “Homem Elefante” original, ele se recusou a participar de uma série de “apresentações” (freak shows), que explorariam sua condição. Apesar de desde 2007 ter passado por quatro tentativas de remoção do enorme crescimento, ele ainda mantém cerca de 15 quilos dele no rosto.

 

Embora os procedimentos tenham ajudado a reduzir o tumor, Chuncai ainda tem dificuldades para comer e sua aparência ainda o impede de sair em público. Fora isso, de acordo com a imprensa local, ele afirma conseguir levar uma vida relativamente normal.

homem-elefante_02

Nascido em uma área rural na China, foi ridicularizado quando pequeno por outras crianças, devido a sua aparência. Por isso, foi obrigado a abandonar a escola logo nos primeiros anos. Ele atualmente vive com os pais e irmãos.

 

Apesar do apelido, Huang não sofre da mesma desordem genética associada à Merrick, que possivelmente foi vítima de uma condição chamada Síndrome de Proteus– que envolvia o crescimento anormal dos ossos, pele e cabeça.

 

Neurofibromatose

Trata-se de uma série de condições genéticas que causa inchaços ou o aparecimento de caroços. Embora muitas pessoas as desenvolvam por razões hereditárias, 50% dos casos ocorrem de forma aleatória. Apesar de causar uma aparência alarmante, os tumores não são cancerosos ou contagiosos e são resultado do crescimento anormal das células.

[ Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / Daily Mail ] 

Jornal Ciência