Homem consegue reunir toda a família e amigos em festa momentos antes de morrer por eutanásia

de Merelyn Cerqueira 0

J. Mutchler estava sofrendo com um câncer no pâncreas em estado terminal. Quando sua condição piorou, os médicos lhe deram apenas algumas semanas de vida. No entanto, como estava em constante dor, abaixo do peso e frequentemente vomitando, resolveu optar pelo método da eutanásia, permitido no estado de Montana, nos EUA, onde residia.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

 

Então, definindo seu dia de morte para 19 de fevereiro, ele conseguiu reunir sua família e amigos para uma última celebração de sua vida antes de tomar a medicação. “Imagine a gripe mais forte que você já teve, e você sente calafrios e alguém te apunhalando com uma faca quente e torcendo ela em seu corpo”, disse ele descrevendo a dor em um vídeo divulgado por um grupo de advogados pró-eutanásia, Compassion and Choices.

 

Sabendo que estava à beira da morte, os amigos e familiares de Mutchler presentearam-lhe com duas festas de despedida em sua cidade natal, Billings, em Montana. A primeira delas, realizada em novembro passado, foi marcada pela presença de centenas de pessoas. “Todos se juntaram e se divertiram”, disse sua mãe, Leslie, em entrevista à revista People. “Seus amigos são todos jovens e é difícil se acostumar com a ideia de morte nesta idade”.

homem-reune-familia

Algumas pessoas se sentiram um pouco desconfortáveis, dizendo: não sei bem o que fazer. Nunca fiz isso antes”, contou ela. “Bem, eu quero quer vocês venham vê-lo enquanto puderem”, respondeu. “Não vamos nos reunir para o funeral, vamos nos reunir para celebrar a vida, enquanto ele está vivo”, acrescentou.

 

Em seus estágios finais de vida, Mutchler estava pensando apenas 57 quilos, considerando seu 1,95m de altura. “Minha mãe, seu pai, seu irmão, eu, seu melhor amigo e Keri, sua namorada, estávamos todos com ele no final”, disse Leslie. “Todos lhe demos um abraço e dissemos adeus, até que ele administrou a medicação”.

 

Ele adormeceu dentro de 10 minutos após tomar o remédio, e três horas depois morreu”, acrescentou. A eutanásia é legal em Montana graças a uma ação judicial bem-sucedida apresentada pelo avô de Mutchler, Bob Baxter, que sofria de um linfoma terminal.

 

Baxter morreu horas depois que um tribunal distrital decidir a seu favor em 2008. Posteriormente, a Suprema Corte de Montana confirmou sua decisão. No dia seguinte à morte de Mutchler, o legislador estadual republicano Brad Tschida apresentou um projeto de lei que faria com que os médicos que prescrevessem drogas para eutanásia fossem acusados de homicídio.

[ Honey Nine ] [ Fotos: Reprodução / Honey Nine ]

Jornal Ciência