Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Tratamento contra a Covid-19 à base de plantas está sendo testado nos EUA

Novo método, que tem como base o absinto e o Mesilato de Camostato, parece ser eficaz contra a doença, de acordo com um estudo recente.

de Redação Jornal Ciência 0

Em setembro de 2020, a chefe de Governo dos EUA, Claudia Sheinbaum, apresentou um ensaio científico – liderado pela Universidade de Kentucky, em colaboração com o Instituto Nacional de Nutrição Salvador Zubirán.

O estudo visava demonstrar que a combinação de Mesilato de Camostato (um medicamento) e chá da planta da espécie Artemisia annua (absinto) eram eficazes como tratamento contra a Covid-19.

Evidências anteriores já mostraram que o absinto possui as propriedades necessárias para inibir a replicação do coronavírus no corpo. Consequentemente, isso poderia impactar a curva de contágio, reduzindo a internação de pacientes infectados.

Agora, esta alternativa natural foi testada em 360 voluntários para coletar dados sobre os efeitos do tratamento. Para fazer parte do estudo, era necessário ser maior de idade, ter testado positivo para a Covid-19 e não ter sido hospitalizado por um período superior a 3 meses. Além disso, era preciso apresentar alguma das seguintes características, típicas dos grupos de risco:

●     Hipertensão ou obesidade;

●     Diabetes;

●     Alguma doença pulmonar obstrutiva crônica ou asma;

●     Ser uma pessoa mais velha;

●     Câncer, com medicamento imunossupressor no último ano.

Em cada caso, o paciente recebeu 600 miligramas de Mesilato de Camostato por 2 semanas.

Da mesma forma, o tratamento também considerou a ingestão de um chá preparado com dois saquinhos de Artemisia annua, 3 vezes ao dia, no mesmo período.

As substâncias deste remédio fitoterápico mostraram alguns efeitos antivirais, por isso os cientistas responsáveis pelo estudo estão otimistas quanto à sua aplicação a um maior número de pessoas.

No entanto, os próprios cientistas envolvidos no processo afirmam que mais estudos são necessários para confirmar a eficácia do uso medicinal dessa planta e do Mesilato de Camostato no tratamento contra o coronavírus.

O estudo foi publicado na Clinical Trials, um departamento oficial do governo norte-americano.

Fonte(s): Muy Interesante Imagens: Reprodução / Pixabay

Jornal Ciência