Merkel insta Europa a se preparar para mundo sem liderança dos EUA

de Redação Jornal Ciência 0

A chanceler alemã, Angela Merkel, apelou a uma profunda reflexão sobre uma nova realidade em que os EUA possam não almejar serem os líderes do mundo.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

“Crescemos com um certo entendimento de que os EUA queriam ser uma potência mundial. Se os Estados Unidos desejam se retirar deste papel por sua própria vontade, teremos que refletir sobre isso seriamente”, disse Merkel.

Em uma nova entrevista para seis jornais europeus, incluindo The Guardian, a chanceler alemã também esclareceu que as tropas norte-americanas não somente ajudam a proteger os países europeus que são membros da OTAN, mas também os interesses de Washington. Contudo, prometeu continuar com o desenvolvimento das capacidades militares alemãs.

Além do mais, a chanceler acrescentou que existem “boas razões” para manter o compromisso com a OTAN e o “escudo protetor nuclear comum [europeu], mas, claramente, a Europa deve contribuir mais que durante a Guerra Fria”.

Depois do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciar que reduzirá o número de tropas porque “a Alemanha é devedora em seus pagamentos à OTAN”, a embaixadora alemã nos EUA, Emily Haber, respondeu que as tropas norte-americanas se encontram na Alemanha não para a proteção do país, mas para manter a segurança transatlântica.

Em setembro de 2019, Merkel afirmou que a Europa deve pensar em sua própria segurança, porque os EUA não a protegeriam “automaticamente” como fizeram durante a Guerra Fria.

Fonte: Sputnik News Foto: Reprodução / YouTube

Jornal Ciência