99,5% das mortes recentes de Covid-19 nos EUA são de pessoas não vacinadas, diz CDC

A nova cepa, que surgiu na Índia, já é predominante em vários países

de Redação Jornal Ciência 0

Quase todas as mortes recentes registradas nos EUA estão ocorrendo entre pessoas que não foram vacinadas. A afirmação é da chefe do CDC (Centers for Disease Control and Prevention) com dados preliminares.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

“Pessoas que não foram vacinadas permanecem suscetíveis especialmente a variante Delta e estão particularmente sob risco de doença grave e morte”, disse a Dra. Rochelle Walensky, durante coletiva de imprensa, segundo o portal Business Insider.

“Dados preliminares de vários estados nos últimos meses sugerem que 99,5% das mortes por Covid-19 nos EUA foram em pessoas não vacinadas”, salientou Walensky.

Uma análise anterior, feita pela Associated Press (uma das maiores agências de notícias do mundo) com dados de junho, mostrou que apenas 0,8% das mortes por Covid-19 ocorridas no mês de maio foram de pessoas vacinadas.

A variante Delta está se espalhando e, de acordo com o próprio CDC, com dados desta semana, a nova variante já representa mais da metade dos casos de Covid-19 nos EUA.

A chefe do CDC disse que era esperado que a variante tornasse dominante no país, mas diz que este rápido aumento é preocupante, ressaltando que a variante Delta é a responsável pelo aumento nas hospitalizações em várias partes dos EUA onde as taxas de vacinação foram baixas.

Ao total, 173 condados estão com taxas elevadas. Destes, 9 em cada 10 condados vacinaram menos de 40% dos residentes, o que representa claramente os malefícios que os movimentos “antivacina” e fake news provocam na população.

O presidente dos EUA, Joe Biden, propôs na última terça-feira (06/07), mudar as campanhas de vacinação, sugerindo até mesmo que as equipes possam ir de porta em porta.

Até o momento, os dados científicos disponíveis mostram que as duas doses das vacinas Pfizer, Moderna e Oxford-AstraZeneca são altamente protetoras contra a variante Delta.

Fonte(s): Business Insider Imagens: Reprodução / Shutterstock

Jornal Ciência