61 milhões de crianças na zona rural da China foram “abandonadas” pelos pais, segundo levantamento feito pelo governo

de Merelyn Cerqueira 0

Segundo um levantamento recente sobre migração interna, feito pela Comissão Nacional de Saúde e Planejamento Familiar da China, cerca de 61 milhões de crianças em regiões rurais vivem sem os cuidados diários de seus pais, trabalhadores migrantes.

 

A falta de trabalho significa que a maioria delas precisa ser deixada para viver com avós, enquanto os pais saem em busca de renda, de acordo com informações da South China Morning PostUma série de imagens mostra o custo humano do crescimento econômico da China, com cerca de 61 milhões de crianças deixadas pelos pais. Tratam-se de menores de 17 anos que frequentemente são cuidados por seus avós em áreas mais pobres e rurais.

Muitas cidades, como Pequim, dependem de trabalhadores que migram do campo, e as autoridades municipais, muitas vezes, não oferecem provisões básicas, como escolas e cuidados de saúde para os filhos dessas pessoas. Isso significa que é impossível manter as famílias unidas, e especialistas acreditam que isso, a longo prazo, pode causar danos psicológicos nas crianças.

 

Em junho do ano passado, por exemplo, na província de Guizhou, quatro crianças “abandonadas” da mesma família, com idades entre cinco e 13 anos, cometeram suicídio por meio de envenenamento com pesticidas. Em outro caso, reportado em novembro de 2012, cinco meninos morreram por envenenamento de monóxido de carbono depois de iniciarem um incêndio com carvão dentro de uma lixeira.

O governo chinês de fato tem consciência do problema. No início de fevereiro, o Conselho de Estado do país emitiu uma diretriz para as autoridades locais visando a melhorar a saúde física e psicológica dessas crianças. Em uma escala maciça, separar essas crianças de seus pais devido a razões econômicas e políticas é uma das consequências não intencionais da grande urbanização de algumas regiões metropolitanas da China nas últimas décadas.

 

No ano passado, havia 247 milhões de trabalhadores migrantes em todo o país, com idade média de 29,3 anos. Dois terços destes ganham entre 2.000 e 5.000 yuans (R$ 904 e R$2.261, respectivamente) por mês, enquanto que 5% ganham mais de 8.000 yuans (R$ 3.617) por mês, de acordo com a pesquisa.

[ Daily Mail ] [ Foto: Reprodução / Asian News ]

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
error: Proibida a cópia sem autorização.