Mulher que se tornou reclusa após ouvir do médico que era o pior caso de acne já visto encontra cura usando prata

de Merelyn Cerqueira 0

Charlotte Hall, 27 anos, de Ashford, Inglaterra, sofria com um grave caso de acne desde os 12 anos de idade.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Desde então, tentou uma série de remédios, inclusive antibióticos, para tentar melhorar a aparência do rosto, mas sem sucesso. Após ouvir do próprio médico que era o “pior caso de acne” que ele já havia visto, desenvolveu fobia social.

No entanto, ela afirmou ter encontrado a cura para seu problema em um creme de prata coloidal, de acordo com informações do Daily Mail.

mulher-acne_1

Consciente das manchas em seu rosto, ela culpou a acne pelo fato de que não conseguiu um namorado até os 24 anos. Hoje com 27, e após ter tentado uma série de tratamentos, ela afirma ter recuperado a confiança após conseguir uma cura. 

“Eu quase não conseguia sair de casa”, disse ela. “Eu sentia que devia parecer muito nojenta e por isso mal conseguia falar com os meninos, muito menos ir a um encontro ou se tornar íntima deles. Não estou exagerando quando digo que meu mundo inteiro mudou desde que minha acne melhorou. Se eu não descobrisse o creme de prata não sei onde estaria agora”, acrescentou.

Enquanto era adolescente, chegava a gastar horas em frente a um espelho para tentar cobrir as manchas do rosto com maquiagem.

“Eu usava quilos de maquiagem para tentar encobrir minha acne, mas ela derretia dentro de algumas horas e eu tinha que retocá-la”, disse ela.  Quando consultou um dermatologista, ouviu dele que era “o pior caso de acne que ele já havia visto”. “Eu desenvolvi uma fobia social séria depois disso”, disse ela. “Eu sequer saía para ir até a loja na esquina de casa, e só saía de casa obrigada”.

Ir para a escola era um obstáculo emocional. Era desafiante tentar manter amizades e qualquer aparência de uma vida social. Isso acabou com minha juventude”, acrescentou. 

Ao longo de dois anos ela tentou uma série de tratamentos, incluindo o uso de pílulas anticoncepcionais, muitos cremes e géis, antibióticos e até mesmo microdermoabrasão. No entanto, nada funcionou.

Foi somente durante um momento em que navegava na internet entre blogs e artigos intermináveis sobre acne que ela descobriu o creme de prata coloidal. Embora não tivesse colocado muitas expectativas no produto, resolveu testá-lo. 

“Fiquei realmente surpresa quando dentro de uma semana comecei a ver diferença”, disse ela. “O creme imediatamente acalmou minha pele, reduzindo a vermelhidão e inflamação. Dentro de duas semanas, as espinhas começaram a diminuir e depois de dois meses de uso diário, eu diria que minha pele estava 60% melhor”, contou.

“Agora que minha pele melhorou, minha vida social também fluiu. Sempre saio com meus amigos, viajo pelo menos três vezes por ano e passei por algumas aventuras incríveis em países que pensei que nunca seriam possíveis. Livrar-me da acne literalmente me abriu um mundo completamente novo”, concluiu.

O creme de prata coloidal, feito à base de água infundida com partículas do metal, promete matar as bactérias ruins presentes na pele que são, muitas vezes, as responsáveis pela acne, ao passo em que aumenta a presença das bactérias boas que combatem a condição. A fórmula tem sido utilizada há séculos para o combate de diferentes tipos de bactérias.

No entanto, ainda é considerado um tratamento alternativo controverso por muitos médicos, uma vez que há poucas evidências científicas que comprovem sua eficácia. Logo, antes de considerar um tratamento do tipo, não hesite em falar primeiro com um dermatologista especializado que conheça e saiba de estudos com a prata coloidal para este tipo de tratamento.

Fonte: Daily Mail / Ehow Fotos: Reprodução / Daily Mail

Jornal Ciência