Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Mãe não será presa e condenada depois de, sob efeito de drogas, deixar filho de 3 anos congelar até a morte

de Merelyn Cerqueira 0

Jamie Lyn Basinger, 24 anos, da Carolina do Norte, nos EUA, recentemente foi informada que não cumprirá nenhum período de prisão após ter confessado um homicídio culposo.

Ela admitiu que estava sob os efeitos de metanfetamina quando um de seus filhos Landyn, de três anos, morreu de hipotermia ao ser trancado do lado de fora de casa, segundo informações do Daily Mail.

mae-nao-enfrentara-processo_1

A criança, que há poucos dias havia comemorado o terceiro aniversário, foi encontrada morta no quintal da residência por um vizinho, na manhã do dia 15 de março. Exames de autópsia revelaram que ela tinha lesões nas mãos, possivelmente causadas por tentativas desesperadas de entrar na casa, uma vez que estava muito frio do lado de fora.

Basinger, que passou oito meses na prisão esperando julgamento, aceitou um acordo de sentença suspensa de 19 para 32 meses, juntamente com três anos de liberdade condicional supervisionada pelo Tribunal Superior do Condado de Burke.

mae-nao-enfrentara-processo_2

Sua acusação de abuso infantil também foi descartada. No entanto, um juiz ordenou que ela cumprisse 72 horas de serviço comunitário. Com efeito, se algum dos termos fossem violados, Basinger retornaria à prisão.

O advogado de Basinger, Frank Webster, disse que ela já havia cumprido seu dever com as autoridades porque “quis responder a si mesma” sobre o incidente de março. “Ela não entendeu o que havia acontecido e nada fazia sentido para ela”, disse Frank Webster em uma declaração judicial. “Quando viu Landyn deitado na varanda, desabou em lágrimas – caindo no chão. Desde então, ela nunca mais parou de chorar”.

mae-nao-enfrentara-processo_3

Basinger admitiu que nos dias que antecederam a morte do filho havia usado maconha e metanfetamina e, por esse motivo, ficou inconsciente por horas, período no qual a criança ficou trancada do lado de fora, em uma temperatura congelante de -21°C.

Embora Landyn apresentasse marcas de sangue no rosto, a autópsia não revelou sinais de traumas.

Já a promotora do caso, Michelle Lippert, disse que a mulher só foi acordada quando ouviu os policiais batendo forte na porta de sua casa.

“Era obrigação dela supervisionar a criança”, argumentou Lippert. “Ele havia acabado de completar três anos, e estava do lado de fora da casa. Por sua própria admissão, ela afirmou que estava dormindo mais do que o normal”, disse. “Ela não o ouviu – não o ouviu sair da sala, não o ouviu sair da casa, não o ouviu batendo na porta. Ela estava dormindo enquanto ele estava morrendo congelado”.

O namorado de Basinger, Joshua Steffey, que também estava dentro da casa na ocasião, também admitiu estar sobre o efeito de drogas. Basinger agora será obrigada a submeter-se a uma avaliação de abuso de substâncias e a aceitar as ordens do Departamento de Serviços Sociais.

“O sistema judicial e todos nós vamos seguir em frente. Vamos continuar com nossas coisas, mas ela nunca continuará. Ela nunca esquecerá do que fez”, acrescentou Webster.

Fonte: Daily Mail Fotos: Reprodução / Daily Mail

Jornal Ciência