Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

A verdadeira razão pela qual é mais difícil emagrecer quando ficamos mais velhos

de Merelyn Cerqueira 0

A velhice chega para todo mundo, e junto com ela, o ganho de peso. Todos nós estamos em risco de desenvolver a famosa flacidez nos braços ou uma barriga grande a ponto de não conseguirmos mais olhar para os pés.

Contudo, ficar mais velho não necessariamente deve significar o ganho das gordurinhas, de acordo com o cientista Dr. Neerav Padliya, especialista em perda de peso. 

Ele insiste que tais mudanças corporais são mais gerenciáveis do que pensamos. Uma vez que entendemos que o ganho de peso está acontecendo, há maneiras simples e inteligentes de impedi-lo.

O problema dos hormônios

Quando atingimos a fase dos 30, ocorre uma queda nos níveis de produção hormonal. Tal ação, que afeta igualmente homens e mulheres, começa a retardar nosso metabolismo, e é por isso que queimamos menos calorias e armazenamos mais gordura.

O que isso significa para os homens?

São os altos níveis de testosterona que mantêm os homens magros enquanto jovens. Estes são responsáveis por manter os corpos magros e musculosos.

Isso ocorre porque o hormônio se liga à gordura fazendo com que ela seja menos armazenada pelo organismo.

Isso também ajuda na construção dos músculos, acelera o metabolismo e mantém a sensibilidade à insulina (que previne diabetes).

“Contudo, à medida que os homens envelhecem, os níveis de testosterona diminuem naturalmente a uma taxa de cerca de 1% ao ano após a idade de 30 anos”, explicou Dr. Padliya. 

Essa redução, segundo ele, encoraja o corpo a armazenar gordura – essencialmente em torno da barriga, aumentando também o risco de doenças cardíacas e diabetes.

O que isso significa para as mulheres?

obesidade-perda-de-peso_02

Os níveis de hormônios, para as mulheres, têm uma maior influência sobre o ganho de peso na idade avançada.

Isso sugere que o corpo feminino tem um equilíbrio mais delicado de progesterona e estrogênio ao longo dos anos férteis. 

Níveis mais elevados de estrogênio estão associados à formação de tecido adiposo, mas, nas mulheres mais jovens, esse efeito é compensado por níveis igualmente elevados de progesterona.

A partir dos 35 anos, os níveis de ambos os hormônios diminuem, consequentemente levando à menopausa. 

“No entanto, os níveis de progesterona diminuem a um ritmo mais rápido, causando uma maior formação de tecido de gordura na barriga”, explicou Dr. Padliya.

Para ambos os sexos

Essas quedas hormonais, de modo geral, levam a uma redução da massa muscular. Porque o tecido muscular é o maior consumidor de glicose do corpo, perdê-lo também significa menos gasto calórico – e qualquer excesso é convertido em gordura corporal que será armazenada na barrigada. Ainda, uma menor quantidade de massa muscular também significa que o corpo não processará de forma eficiente os carboidratos, de modo que estes serão grandes responsáveis pelo ganho de peso.

Como evitar o problema:
  • 1 – Proteínas

O especialista sugere que as pessoas nessa fase da vida consumam mais proteínas e menos carboidratos.

A proteína é o bloco de construção dos músculos, e considerando que a massa muscular diminui à medida que envelhecemos, é de se esperar que este nutriente protagonize as dietas.

  • 2 – Exercícios de resistência

Ainda, o especialista indica que trabalhar os músculos também é uma opção, porque, quanto mais músculos temos, mais calorias podemos queimar, mesmo quando não estamos nos exercitando.

Assim, à medida que envelhecemos, é importante que façamos os chamados treinamentos de resistência – trabalhados com pesos – a fim de manter os músculos fortes.

  • 3 – Elimine o estresse

Essa fase da vida pode vir acompanhada de muito estresse. Considerando que a pesquisa relacionou níveis elevados de cortisol (hormônio do estresse) ao acúmulo de gordura na barriga, é essencial que as pessoas busquem eliminar o máximo possível de estresse da rotina.

  • 4 – Levante

Aproveite todas as oportunidades que tiver para se levantar. Ser sedentário por muito tempo diminui a atividade de uma enzima lipoproteica chamada lipase, que nos ajuda a queimar as gorduras da barriga.

Sendo assim, aproveite as oportunidades para ficar em pé no transporte público ou enquanto está no telefone.

  • 5 – Não deixe a falta de sono afetar seu apetite

Defina uma hora exata para dormir. Nossa qualidade de sono, muita das vezes, diminui na meia-idade.

Com menos sono, há um aumento de apetite, o que significa um maior ganho de peso. Sendo assim, defina uma rotina relaxante para dormir, que inclua banho quente, se desligar de todas as telas e apagar as luzes pouco antes de deitar na cama.

Fonte: Mirror Fotos: Reprodução / Mirror

Jornal Ciência