TOP 10 curiosidades impressionantes sobre o pulso humano

de Merelyn Cerqueira 0

Sentir ou medir o pulso de um paciente é um método de diagnóstico importante na maioria das tradições médicas.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

No entanto, os pulsos dos pacientes são interpretados de forma muito diferente entre as tradições.

Dito isso, abaixo você confere 10 curiosidades interessantes sobre o pulso humano, conforme informações do site Megacurioso.

1 – De acordo com a Science Museum UK, o significado de “pulso” ainda não está muito claro. A Medicina Tradicional Chinesa, por exemplo, considera 12 pulsos básicos, seis em cada um dos braços e cada um ligado a um ou mais órgãos diferentes. Já os praticantes de Ayurveda, interpretam o padrão rítmico do pulso como uma indicação do equilíbrio dos três doshas (tipos básicos de energia), enquanto que a biomedicina associa o pulso diretamente ao coração, vendo as batidas como um efeito da circulação sanguínea através das veias e artérias.

2 – Os antigos egípcios mediam o pulso por meio de diferentes partes do corpo, uma vez que consideravam o coração como uma fonte de todas as emoções, sabedoria, memória, entre outras, portanto, capaz de se comunicar com todos os outros membros.

3 – Os gregos antigos, incluindo o famoso médico Herófilo, por outro lado, consideravam quatro características básicas para tomar o pulso de um paciente: frequência, força, ritmo e duração.

4 – Com o passar do tempo, a medicina passou a questionar essas características propostas pelos gregos antigos, incluindo o fato de que elas não poderiam ser medidas pelo simples toque dos dedos. Então, no século 18, um médico inglês passou a medir as pulsações entre períodos de 1 minuto, inventando assim uma técnica rudimentar de monitor para frequência cardíaca que é utilizada até os dias de hoje.

5 – A antiga medicina islâmica (Unani Tibb) se baseou em elementos das tradições gregas, chinas e ayurvédicas para desenvolver seus próprios métodos. Médicos como Avicena e Al-Razi, por exemplo, se preocuparam em descobrir quais as relações entre a pulsação e doenças. Há uma lenda que sugere que Avicena utilizava a medição da frequência cardíaca como um método de identificar mentiras.

6 – Também se sugere que os médicos islâmicos do passado sequer precisavam tocar seus pacientes para medir pulsos. Lendas contam que eles colocavam apenas um fio ao redor do punho para sentir as vibrações produzidas pelos batimentos.

7 – Como a interpretação das pulsações era uma atividade que requeria bastante habilidade e sensibilidade, alguns médicos gregos medievais chegavam a estudar música para compreender melhor a técnica.

8 – Segundo dados da OMS, o coração humano deve bater em uma frequência entre 60 e 100 vezes por minuto. Um coração adulto saudável bate aproximadamente 100 mil vezes por dia, 36 milhões de vezes por ano e 2,5 bilhões de vezes até os 70 anos.

9 – A frequência cardíaca das mulheres normalmente é mais rápida que a dos homens.

10 – Um estudo realizado por pesquisadores na Suécia apontou que quando um coral de pessoas canta, seus ritmos cardíacos são sincronizados.

Fonte: Science Museum Foto: Reprodução / Wikipédia

Jornal Ciência