Quantos pontos você vê? Ilusão de ótica mostra nosso cérebro compensando o que os olhos não podem ver!

de Merelyn Cerqueira 0

Os cientistas desenvolveram uma ilusão de ótica que pode explicar como nossos olhos compensam aquilo que eles não podem ver.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Conhecida como a Ilusão de Extinção de Ninio, a imagem possui 12 pontos em uma grade cinza e branca. No entanto, há uma reviravolta – é impossível ver todos os 12 pontos de uma só vez!

A famosa ilusão foi criada pelo cientista francês Jacques Ninio e detalhada em um artigo científico publicado em 2000.

Se a grade for removida, os espectadores poderiam ver facilmente todos os 12 pontos pretos, simultaneamente. Mas, quando a grande está na frente, nossa percepção muda completamente.

Ao se concentrar em um ponto particular, você notará que muitos dos outros pontos desaparecem nas linhas de cruzadas. Vários pontos adjacentes podem permanecer na grande, mas outros que estão mais distantes parecem desaparecer em um instante. Um usuário com Q.I. médio consegue ver até 4 pontos por vez.

Especialistas dizem que a ilusão representa um exemplo dos limites de nossa visão: “Nosso sistema visual é preguiçoso”, comentou Susana Martinez-Conde, neurocientista do Centro Médico Downstate da Universidade Estadual de Nova York, à revista PopScience. “Padrões regulares são tentadores porque você pode olhar para uma pequena porção e pensar que tem a coisa toda planejada”.

Muitos cientistas estudam o trabalho da ilusão de Ninio e dizem que as conclusões têm conexão com a “grade de Hermann”.

O que é a grande de Hermann?

Trata-se de uma ilusão de ótica muito popular, onde usuários visualizam uma grande branca sobre um fundo preto. À medida que os usuários movem os olhos pela imagem, pontos escuros aparecem e desaparecem, rapidamente nos cruzamentos.

Qual a conexão entre as duas ilusões?

Assim como a grade de Hermann, a Ilusão de Extinção de Ninio demonstra como nosso cérebro compensa o que não podemos ver. Acredita-se que os humanos têm mais neurônios no centro de sua visão do que no exterior.

Isso significaria que só podemos ver as coisas dentro de um certo alcance do centro de nossa visão. Como resultado, nossos cérebros tentam compensar nossa visão periférica “preenchendo os espaços em branco” pelo o que nosso cérebro “acha” que está vendo.

Tornou-se viral no Twitter!

A Ilusão de Extinção de Ninio ficou muito famosa na Internet quando postada no Twitter pela primeira vez em 2016, pelo desenvolvedor de games Will Kerslake, bem como por Akiyoshi Kitaoka, professor de psicologia e especialista em ilusionismo japonês.

Na época, milhares de usuários tentavam de diversas formas enxergar todos os pontos, das mais variadas formas, mas sem sucesso!

Fonte: Daily Mail Fotos: Reprodução / Daily Mail

Jornal Ciência