Para qual lado você vê a dançarina girar?

de Gustavo Teixera 0

No entanto, o que temos é uma ilusão de ótica que alguns dizem que realmente pode revelar quão inteligente você é.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Essa ilusão de ótica brinca com a percepção visual do cérebro, sendo que alguns veem a mulher girar no sentido horário, outros no sentido anti-horário ou até mesmo alternar entre os dois sentidos. Durante anos, a figura giratória foi usada para testar a inteligência e determinar qual lado do cérebro era mais dominante.

para-qual-lado-ve-a-bailarina

Agora, os especialistas dizem que não se trata de hemisférios cerebrais, mas a maioria vai ver a bailarina girar no sentido horário, porque tendemos a ter um ponto de vista de cima e uma tendência ao lado direito do corpo. A ilusão de ótica foi criada pelo designer japonês Flash Nobuyuki Kayahara em 2003 e por muitos anos, foi usada para determinar se as pessoas são dominantes do cérebro direito (criativo) ou do cérebro esquerdo (lógica).

E, aparentemente, as pessoas com alto QI podem ver a figura girando em ambas as direções. Paul Spencer, entrou em contato com Arthur Shapiro e Niko Troje, dois cientistas que dissecam a garota giratória de Kayahara no Compendium of Visual Illusions, para entender a verdade por trás dessa teoria. Shapiro, professor de Ciência da Computação da Universidade Americana de Washington DC e criador da ilusão da roda de carroça colorida, explica que há razões muito mais complexas por que a vemos girar em direções diferentes.

A dupla explica que esta bailarina é considerada uma imagem reversível na classe das ilusões ópticas, o que significa que, embora ela gire, exibe “semelhanças com outras ilusões estáticas”, bem como o cubo Necker.

para-qual-lado-ve-a-bailarina_4
Assim como a dançarina giratória, o cubo Necker pode ser visto de duas maneiras: ou o painel inferior direito está na frente ou as pessoas o veem na parte de trás.

Imagens reversíveis como o cubo e a dançarina mudam a qualquer momento, porque podem ser vistas de mais de uma maneira, explicou Troje, diretor do BioMotion Lab da Queens University. E a razão para a incerteza é porque esses tipos de ilusões ópticas não revelam nenhuma pista sobre a profundidade da imagem para nos ajudar a identificar o sentido.

Quando as imagens não são claras, seu cérebro toma a iniciativa de preencher as lacunas onde a informação está faltando. No entanto, um segundo vídeo adiciona pequenas linhas de contorno branco em certas áreas do corpo, o que permite que nosso cérebro “resolva a ilusão mais rápido”, disse Shapiro. Isso ocorre porque seu cérebro é capaz de reunir mais informações.

para-qual-lado-ve-a-bailarina_2

Shapiro também revela que você não tem que ser um gênio para ver o lado mudar. “Agora imagine que você está se movendo fisicamente para cima ou para baixo no espaço. Se você quer que ela mude de direção, olhe para ela como se você fosse filmá-la de baixo. Agora finja estar filmando de cima“, disse ele.

Quando você se imagina abaixo da dançarina, ela deve girar no sentido anti-horário. E quando você se imaginar acima dela, ela deve girar no sentido horário. Um estudo de 2010 revela que a maioria das pessoas vai ver a figura girar no sentido horário por que tendemos a escolher um ponto de vista de cima, em vez de um ponto de vista abaixo, segundo relatórios BrainDecoder. E um estudo de 2015 diz que o fator visão de cima é apenas a ponta do iceberg.

O estudo sugere outra razão para nosso viés no sentido horário, que é uma tendência, pois os seres humanos tendem a inclinar-se para o lado direito do corpo, explicam os pesquisadores. Shapiro e Troje dizem que a razão pela qual a maioria das pessoas vê a dançarina girar no sentido horário também tem a ver com a área do nosso cérebro que lida com medo, raiva e pânico, que é o sistema subcortical.

A maioria das coisas que podem nos prejudicar é mais propensa a estar no chão, como cobras e aranhas, explicou Troje. Então, quando mostramos informações visuais ambíguas, temos tendência a processar a imagem como se estivéssemos olhando para baixo.

E você, para qual lado vê a dançarina girar?

[ Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / Daily Mail ]

Jornal Ciência