Por que os alimentos ficam pretos após serem grelhados?

de Julia Moretto 0

Cuidar da saúde é uma tarefa primordial para qualquer ser humano. Acompanhamentos médicos, prática de exercício e uma alimentação balanceada são fundamentais para adquirir uma vida saudável. E é por isso que os grelhados vêm ganhando cada vez mais espaço nos cardápios e nas dietas tradicionais, já que seu modo de preparo não necessita de muita gordura. Mas você já se perguntou por que ao grelhar um frango, por exemplo, ele fica preto?

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Antes de mergulhar no mistério da carne carbonizada, é preciso entender que churrasco e grelhados são coisas diferentes. Embora a palavra churrasco seja usada para descrever qualquer ato de preparação de alimentos ao ar livre, “churrasco” na verdade se refere à carne cozida lentamente sobre carvão vegetal ou madeira. Segundo especialistas, devido ao churrasco ser preparado em baixa temperatura, ele raramente escurece, embora a fuligem do fogo possa deixá-lo marrom escuro.

Por outro lado, os alimentos grelhados sobre o calor elevado podem receber queimaduras, como é o caso dos frangos e bifes. O material preto é formado por uma reação de combustão simples. Segundo a química de alimentos Sara Risch, em entrevista ao ScienceNews, em um primeiro momento, o calor cria uma reação de escurecimento nos aminoácidos e açúcares. Se a carne ainda é exposta ao calor, começa a queimar. Quando açúcares e proteínas são queimados, eles perdem carbono e outras propriedades.

O alimento carbonizado pode apresentar um sabor diferenciado, porém muito perigoso. Segundo um estudo mostrado na Associação Americana de 2006, para reunião Cancer Research, descobriu que os produtos químicos na carne carbonizada elevaram o risco de câncer de próstata em ratos. Já um estudo realizado em 2009 e apresentado na mesma associação, mostrou que o câncer de pâncreas em seres humanos está ligado ao consumo de carne bem passada.

[ Live Science ] [ Foto: Reprodução / Pixabay ]

Jornal Ciência