Confira 5 alimentos falsificados que você come sem saber

de Redação Jornal Ciência 0

Quando pensamos em pirataria a primeira coisa que vem à cabeça são produtos relacionados a tecnologia e vestuário. Curiosamente, não são apenas estes produtos alvo dos falsificadores. 

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

De fato, dentro da culinária, há uma série de alimentos que apontam ser o que não são, conforme você verá na lista a seguir. Embora não seja uma regra, existem muitas falsificações alimentares como estes exemplos em diversos países. 

1 – Ervilhas enlatadas

Grande parte das ervilhas enlatadas que compramos nos mercados são na verdade uma mistura de soja, corantes e um conservante chamado metabissulfito de sódio que, de acordo com a revista Exame, pode causar reações alérgicas, problemas de pele, irritação gástrica e rinite severa em pessoas sensíveis ao composto.

Por conta desses riscos, o consumo de alimentos com metabissulfito de sódio não é recomendado para crianças. Essas falsificações são mais comuns na China.

2 – Canela

A canela-do-ceilão normalmente é o objetivo de alguém que vai ao mercado em busca da especiaria.

No entanto, muitas vezes a pessoa acaba levando para casa uma planta chamada Cássia, que apesar da aparência e cheiro semelhante, é uma espécie completamente diferente.

Para referência, se na embalagem estiver indicando Cinnamomum verum, isso significa que a canela é a verdadeira. Por outro lado, se você ler Cinnamomum aromaticum, estará adquirindo a Cássia e não a verdadeira canela.

3 – Vieira

Já ouviu falar em um molusco bivalve chamado vieira? Ele é vendido no mercado a preços exorbitantes.

Como é uma espécie pouco conhecida, quem compra sem saber qual é a verdadeira, pode acabar levando para casa pedaços de peixe, arraia, cavalo-marinho e até mesmo tubarão, dependo da região do mundo onde está sendo comercializada.

Sugere-se que até mesmo cogumelos congelados já foram vendidos disfarçados como vieiras em alguns restaurantes, especialmente asiáticos que usam bastante frutos do mar. 

4 – Caviar

Se você nunca comeu e apenas ouviu falar (como diz a música de Zeca Pagodinho), saiba que muito consumidor de classe média já comeu gelatina (ou uma substância de algas chamada alginato) acreditando ser caviar.

Na Europa, por exemplo, estima-se que até 1/3 de todo o caviar consumido seja falsificado, feito de uma mistura de gelatina, caldo de peixe, óleo vegetal e corante.

5 – Cereja
Foto: Reprodução / Shutterstock

Nesta altura da vida você já deve saber que a cereja do bolo não é verdadeiramente cereja. Na verdade, porque a cereja verdadeira é muito mais cara, alguns fabricantes resolveram fazer uma versão mais barata, a base de chuchu, uma vez que ele absorve e incorpora muito fácil o sabor dos temperos.

Sendo assim, a cereja do bolo que você tanto briga para comer é feita de chuchu, xarope, açúcar e corante e o sabor não tem nada a ver com a fruta original.

Na verdade, o sabor vem dos aromas adicionados na embalagem e não da fruta em si. Obviamente que existem fabricantes que vendem a verdadeira cereja, mas são poucas as originais!

Fonte: ADME Fotos: Reprodução / ADME

Jornal Ciência