Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Podemos precisar de terceira dose de vacina para combater mutação da Covid-19, diz Boris Johnson

Declaração foi feita pelo primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson.

de Redação Jornal Ciência 0

O Reino Unido – um dos afetados pelas novas variantes do coronavírus consideradas “preocupantes” – pode ter uma terceira vacinação para combater a nova cepa da Covid-19.

A informação foi dada pelo primeiro-ministro Boris Johnson, que advertiu a população sobre essa possibilidade ocorrer ainda nos próximos meses. O país está em meio a preocupações de que a vacina Oxford-AstraZeneca possa não ser tão eficaz contra a nova mutação sul-africana do vírus.

“Teremos que nos acostumar a se vacinar e revacinar, enquanto enfrentarmos essas novas variantes”, disse ele durante entrevista em um quadro chamado “Perguntas ao Primeiro-Ministro”, de acordo com o jornal Metro UK.

Isso acontece depois que cientistas de Oxford revelaram esta semana ter uma nova vacina pronta para os próximos meses, em meados de setembro (quando começa o outono por lá), visando proteger contra novas cepas do vírus – incluindo as do Reino Unido, África do Sul e Brasil.

Os britânicos devem receber uma injeção de reforço no final do ano.

O Ministro da Saúde do Reino Unido, Nadhim Zahawi, foi forçado a defender a vacina de Oxford depois que um novo estudo na África do Sul descobriu que ela não era tão eficaz na prevenção de doenças leves causadas pela mutação sul-africana, que é mais infecciosa.

“Embora seja certo e necessário nos prepararmos para a implantação de uma vacina atualizada, podemos confiar na implementação atual e na proteção que ela proporcionará a todos nós contra esta doença terrível”, escreveu ele ao jornal Daily Telegraph.

Durante uma visita a uma fábrica de testes da Covid-19 em Derby, na Inglaterra, na última segunda-feira, Johnson disse estar “muito confiante sobre todas as vacinas que estamos usando. E eu acho que é importante que as pessoas tenham em mente que todas elas são eficazes em fornecer alto grau de proteção contra doenças graves e morte, que é a coisa mais importante”.

O primeiro-ministro também não descartou a possibilidade de estender o lockdown se a propagação da variante sul-africana continuar se espalhando. 

Fonte(s): Metro UK Imagens: Reprodução / Wikipédia Commons / Pixabay

Jornal Ciência