Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Nova variante do coronavírus pode infectar pessoas vacinadas, afirmam cientistas

Declaração sobre a variante de Bristol foi feita por um consultor científico do governo do Reino Unido.

de Thuany Motta 0

Uma nova mutação do coronavírus, conhecida como a variante de Bristol, pode infectar pessoas que já foram vacinadas ou infectadas anteriormente pelo coronavírus.

A afirmação é do professor John Edmunds, membro do Grupo de Aconselhamento Científico para Emergências (SAGE, da sigla em inglês) do governo do Reino Unido.

Segundo ele, em entrevista à ITV News, ainda não se sabe se a nova variante de Bristol é mais transmissível do que a variante de Kent, apesar de Edmunds “suspeitar que não”.

De acordo com o secretário de saúde do Reino Unido, Matt Hancock, em comunicado à imprensa na última quarta-feira (10), as novas variantes do coronavírus foram identificadas nas cidades inglesas de Bristol, Liverpool e Manchester.

Hancock enfatizou o compromisso do governo britânico de usar rastreamento de contato aprimorado, teste de pico e sequenciamento de genoma para monitorar a disseminação das novas cepas nas comunidades.

O Sistema Público de Saúde do Reino Unido (conhecido como NHS) já havia informado que os casos encontrados em Bristol são a nova variante do Reino Unido com a mutação E484K.

Essa mutação também foi identificada nas variantes sul-africana e brasileira. Esta mutação pode permitir que a Covid-19 escape da proteção de anticorpos, o que preocupa os especialistas.

É importante salientar que os cientistas afirmam que, até o momento, as vacinas são eficazes contra as novas variantes. Mas, pesquisadores temem que as mutações possam diminuir a eficácia das vacinas.

Fonte(s): ITV Imagens: Reprodução / Pixabay

Jornal Ciência