Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Mulheres revelam dor extrema e cicatrização lenta após tratamento a laser para rejuvenescer a pele

de Merelyn Cerqueira 0

Deb Collins, Michelle Abery e Niki Richardson, da Austrália, realizaram um tratamento para rejuvenescimento de pele feito com laser de Erbium.

No entanto, o método, feito por uma esteticista, causou dores excruciantes, inchaço e queimaduras de terceiro grau no rosto das mulheres, além de cicatrizes permanentes.

As clientes foram a um programa britânico, o Today Tonight, para compartilhar a história e avisar outras mulheres sobre o perigo do procedimento, de acordo com informações do Daily Mail.

mulheres-dores-cicatrizes_3

As mulheres afirmaram ter entrado na clínica com a esperança de saírem com uma pele mais lisa e jovem. No entanto, as imagens mostraram o contrário: rostos inchados e ensanguentados.

Deb afirmou que, após o procedimento, consultou um cirurgião plástico. Ele lhe disse que seu rosto havia sofrido queimaduras de terceiro grau. De acordo com ela, a terapeuta teria lhe dito que não haveria “efeitos colaterais ruins”, que apenas sentiria como se tivesse passado tempo demais sob o sol e que deveria evitar usar maquiagem.

mulheres-dores-cicatrizes_1

“Não há palavras para descrever o quão doloroso foi”, disse Niki. “Todo o meu corpo convulsionava”. Michelle e Deb chegaram a filmar a execução do tratamento, mostrando também seus rostos visivelmente ensanguentados. Deb contou que a experiência foi muito dolorosa. “Ela aplicou muita pressão”, disse. “Nossos rostos estavam sangrando. Havia sangue escorrendo nos nosso pescoço, lençóis e cabelos”.    

Segundo Mark Ashton, professor e presidente da Sociedade Australiana de Cirurgiões Plásticos, os danos causados ​​pelo tratamento com laser de Erbium não são exatamente surpreendentes.

mulheres-dores-cicatrizes_2

“Se você está usando um laser de classe quatro e não tem treinamento, você pode causar muitos danos e criar muitas cicatrizes rapidamente”, disse ele. “Se usamos algo que causa muito sangramento, isso significa que o passamos pelas camadas superiores da pele e vasos sanguíneos”. 

A esteticista, que costumava praticar a profissão em Mornington, Victoria, fechou a clínica no momento em que Niki começou a espalhar a história. No entanto, ela reabriu o estabelecimento em Canberra, outra cidade próxima.

Na Austrália Ocidental, somente médicos podem usar o método do laser, enquanto que em Queensland e Tasmânia profissionais licenciados tem a permissão. Em outros estados e territórios do país, qualquer um que possuir e souber como operar um laser pode usá-lo, de acordo com o Canberra Times.

“Essas pessoas não estão sob a supervisão de um órgão oficial ou governo federal abrangente, então as oportunidades de processar, multar ou disciplinar são limitadas”, disse Ashton.

Nikki, por outro lado, disse que continuará espalhando sua história para tentar proteger outras mulheres de passarem pela mesma situação. “Eu não vou desistir da minha luta até que algo seja feito sobre isso”, disse ela.

Fonte: Daily Mail Fotos: Reprodução / Daily Mail

Jornal Ciência