Antilaser: o novo dispositivo sem fios que um dia poderá carregar celulares e eletrônicos à distância

A nova tecnologia promete ser uma revolução no mercado de eletrônicos no futuro

de Redação Jornal Ciência 0

Atualmente, já existem dispositivos que permitem carregar o celular sem usar fios, mas que precisam de estar em contato para funcionar. Agora, cientistas criaram um novo aparelho que irradia energia diretamente para os smartphones, sem necessitar de fios, mesmo estando longe do equipamento.

A mais recente invenção tecnológica chama-se “antilaser” e é um dispositivo capaz de irradiar energia com 99,996% de eficiência para carregar aparelhos eletrônicos, revela o estudo publicado na revista Nature Communications.

Os lasers emitem pequenas partículas (fótons) umas atrás das outras numa linha organizada. Já o antilaser suga esses fótons no sentido contrário, diz o artigo.

Um dispositivo como este pode ser capaz de tornar os fios e cabos uma coisa do passado, permitindo que a energia seja enviada de forma invisível para um computador ou celular sem ser necessário conectá-los.

De acordo com a Live Science, esta é uma descoberta importante, tendo em conta as dificuldades encontradas no passado, relacionadas com o fato de as paredes refletirem a energia de forma inesperada, de os objetos interferirem ou mesmo de outros eletrônicos impedirem a propagação da energia.

O método usado pelos cientistas é chamado de “absorção perfeita coerente” (CPA) e utiliza dois dispositivos diferentes – um envia energia através da divisão e o outro, o antilaser, suga essa energia de volta.

Outros estudos sobre CPA tiveram resultados emocionantes, mas uma limitação fundamental: apenas funcionava em situações onde o tempo fluía tão facilmente para trás quanto para a frente, o que raramente acontece em nosso dia-a-dia.

“A CPA tem atraído físicos e engenheiros tanto pela sua relevância fundamental, como tecnológica. A nível tecnológico, a sua implementação promete a execução de uma família de dispositivos baseados em ondas com uma absorção altamente seletiva e sintonizável, de uma forma que vai além do conceito tradicional de correspondência de impedância”, escreveram os autores no seu estudo.

“No nível fundamental, o CPA foi inicialmente associado ao conceito de simetria de reversão de tempo, uma das simetrias mais fundamentais da natureza”, acrescentaram.

A simetria de reversão de tempo refere-se, exatamente, a situações em que o tempo flui tão facilmente para trás quanto para a frente, o que é difícil de recriar.

No entanto, neste estudo, os cientistas empurraram os fótons de forma tão agressiva que a simetria de reversão do tempo foi perdida e o antilaser funcionou perfeitamente.

Isto “prova que o conceito de CPA vai muito além da sua concepção inicial”, escreveram os cientistas, sugerindo que o antilaser pode funcionar na vida real em um futuro não muito distante.

Fonte: Zap Foto: Divulgação

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!