Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Médico choca o mundo ao postar foto mostrando a dura realidade diária de sua profissão

de Gustavo Teixera 0

O paramédico Kay Müller, de Esslingen, na Alemanha conhecem bem a expressão “entre a vida e a morte”.

Em seu trabalho, a vida das pessoas está por um fio, e cada minuto pode fazer a diferença. Ele já passou por diversas situações, mas um aspecto particular o incomoda. Müller então decidiu desabafar através de um post no Facebook.

Confira o desabafo:

 

“Da próxima vez que um paciente na sala de emergência me perguntar por que ele tem que esperar por duas horas (10 minutos) (e, sim, paramédicos recebem esse tipo de pergunta, mesmo eles não sendo do hospital), eu realmente gostaria de lhe mostrar esta foto. Eu tenho certeza que ele iria entender que sua unha quebrada ou seu resfriado podem esperar outras três horas. Essa, meus queridos, é a responsabilidade da emergência (setor de trauma), não o resfriado que você teve pelos últimos dois dias, que poderia ter sido facilmente tratado pelo seu médico particular. Me desculpe pela escolha de palavras, mas a falta de independência e a preguiça de algumas pessoas é tão assustadora, que eu me pergunto como conseguem chegar até a emergência, mas não ao consultório médico.”

O post já foi compartilhado mais de 20.000 vezes e também recebeu diversos comentários: “Este post deveria ser pendurado na sala de espera de todas as emergências!”, comentou um usuário do Facebook

Já outro escreveu:  “Obrigado!!! Eu acho que TODAS as pessoas que trabalham no sistema de saúde podem se identificar com a sua irritação!”

Teve gente que escreveu algo a partir de uma perspectiva diferente: “Ninguém sabe a situação prévia do outro ou por que não foram ao médico. E não deveriam fazer suposições sobre as pessoas que vão ao hospital”, comentou um paciente que já esteve na emergência

Fonte: The Huffington Post Fotos: Reprodução /  The Huffington Post

Jornal Ciência