Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Entenda por que você deve levar chiclete ao hospital se estiver prestes a dar à luz

de Merelyn Cerqueira 0

As grávidas geralmente pensam com muito cuidado sobre o que carregar nas bolsas que levarão à maternidade.

E há uma grande quantidade de conselhos disponíveis sobre o assunto, incluindo sugestões de bebidas isotônicas, esponjas de banho e várias roupas. No entanto, um novo e curioso conselho vem se espalhando entre os médicos: chiclete.

O motivo? Ele não só ajuda a acelerar o tempo de recuperação pós-cesariana, como também ajuda a poupar o dinheiro dos hospitais, conforme informações do jornal Mirror. Uma série de benefícios notáveis relacionados ao chiclete já foram observados em mães que estavam se recuperando de uma cesárea.

goma-mascar-chicle-cesarea-beneficios_1

Em um estudo recente, publicado Journal of Maternal-Fetal & Neonatal Medicine, cientistas analisaram 17 pesquisas internacionais individuais e descobriram que a goma de mascar no pós-parto promoveu uma recuperação mais rápida na função gastrointestinal.

Para chegar a este resultado os pesquisadores examinaram recuperações de 3.014 mulheres que deram à luz por meio de uma cesariana.

Aquelas que foram instruídas a mascar chiclete imediatamente após o parto, seguido de três vezes ao dia durante 30 minutos (por goma), experimentaram uma recuperação muito mais rápida e confortável.

Outros benefícios observados incluíam a passagem dos flatos, que era mais rápida entre as mães que consumiam a goma de mascar.

Elas também experimentaram ruídos e movimentos intestinais mais rápidos, menos náuseas e crises de vômito, bem como descobriram que seu apetite havia voltado mais cedo.

Segundo o obstetra Dr. Gino Pecoraro, de Queensland, Austrália, o método também é potencialmente econômico para os hospitais, uma vez que substitui a “receita de dois sucos a cada seis horas”.

“As economias para o sistema de saúde de uma estadia encurtada no hospital, enquanto esperam que os intestinos funcionem, poderiam ser bastante significativas”, disse ele.

“Essas economias poderiam abrir fundos para outras áreas que atualmente não são financiadas adequadamente, como serviços de saúde mental pós-natal”, acrescentou.

Fonte: Mirror Fotos: Reprodução / Mirror

Jornal Ciência