Caso extremamente raro ocorre nos EUA: mulher engravida enquanto já estava grávida

de Julia Moretto 0

Nos EUA aconteceu um caso extremamente raro de uma mulher engravidar enquanto já estava grávida.

E para deixar o casa mais improvável, quatro pais distintos estavam envolvidos na produção de seus dois bebês. Isso ocorreu porque a mulher em questão, Jessica Allen, estava atuando como “barriga de aluguel” de um casal chinês quando ficou grávida uma segunda vez, desta vez do seu marido.

mulher-fica-gravida

Allen já era mãe de dois meninos quando entrou em um acordo de “barriga de aluguel” para ajudar a família com uma renda extra, além de proporcionar ao casal amigo o sonho do primeiro filho.

Em troca de um pagamento, Allen recebeu tratamento de fertilização in vitro, sendo implantado com sucesso o embrião do casal. O pagamento ajudaria Allen e seu parceiro (agora marido), Wardell Jasper, a comprar uma casa, mas o dinheiro não era o único incentivo.

“Nenhuma mulher no mundo deveria ter que viver sua vida sem experimentar o amor e o vínculo entre uma mãe e uma criança”, disse Allen à ABC News.

A gravidez prosseguiu suavemente. Na sexta semana, durante um exame de rotina, os médicos de Allen notaram que ela realmente estava carregando dois fetos. “Ele começou a mover o ultrassom e disse: “Bem, eu definitivamente vejo que há outro bebê””, contou Allen.

Na época, todos assumiram que os dois bebês eram gêmeos idênticos – como resultado da separação do embrião do casal chinês. Ninguém considerou a possibilidade superfetação.

Superfetação é um fenômeno extremamente raro em seres humanos, onde uma mulher grávida continua a ovular depois de engravidar, e assim é capaz de conceber um segundo filho, que se gesta simultaneamente ao lado do primeiro feto.

Embora seja raro em seres humanos, é um evento mais comum no reino animal e tem sido observado em roedores, coelhos, cavalos, ovelhas e cangurus.

Semanas depois, enquanto a mãe ainda estava se recuperando de alguns procedimentos clínicos, um teste de DNA confirmou que um dos bebês era mesmo do casal chinês, mas a outra criança tinha os genes de Allen e Jasper.

Depois de uma batalha legal com a agência que organizou a “barriga de aluguel” – e que exigia taxas para entregar o bebê aos pais genéticos – Allen e Jasper finalmente conseguiram estar com o filho, Malachi.

Embora os casos de superfetação em seres humanos sejam incrivelmente raros, este caso foi ainda mais, porque, em última análise, envolveu dois conjuntos diferentes de pais genéticos devido à “barriga de aluguel”.

Fonte: Science Alert Fotos: Reprodução / Pixabay / Max Pixel

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
error: Proibida a cópia sem autorização.