Bactérias que comem petróleo e diesel são selecionadas no Ártico por cientistas

Essas águas permanentemente frias estão vivenciando aumento da atividade industrial relacionada à navegação, representando ameaça de um possível derramamento

de Redação Jornal Ciência 0

Bactérias marinhas que habitam as águas frias do Ártico canadense são capazes de degradar petróleo e óleo diesel, de acordo com um novo estudo publicado na revista Applied and Environmental Microbiology.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Para entender a resposta do microbioma aos derramamentos de óleo, os pesquisadores incubaram a lama do fundo do mar em garrafas para diferentes microrganismos e os combinaram com nutrientes, água do mar e diesel ou petróleo.

Os experimentos foram conduzidos ao longo de várias semanas na costa da Península de Labrador (Canadá) a 4 ° C.

Durante o estudo, foi observada uma diminuição da diversidade microbiana e um enriquecimento de linhagens de bactérias hidrocarbonoclásticas, como a Paraperlucidibaca, Cycloclasticus e Zhongshania, que conseguem biodegradar os alcanos do diesel e do petróleo.

Ameaça de atividade humana

“Nossas simulações mostraram que bactérias degradadoras de petróleo que ocorrem naturalmente nos oceanos são as primeiras a responder a um derramamento”, disse Casey Hubert, da Universidade de Calgary e coautor do estudo.

Essas comunidades bacterianas “podem ser os jogadoras-chave na resposta aos derramamentos de óleo no Ártico”, observou ele.

“O estudo também confirmou que o fornecimento de nutrientes pode aumentar a biodegradação dos hidrocarbonetos”, explicou Hubert.

“Estas águas permanentemente frias estão vivenciando um aumento da atividade industrial relacionada ao transporte marítimo e offshore de petróleo e gás”, o que representa uma significativa ameaça ao meio ambiente, concluiu. 

Fonte(s): RT Imagens: Reprodução / Shutterstock

Jornal Ciência

no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Obs: É necessário salvar nosso número e enviar “olá” para validar o cadastro. São milhares de leitores. Aproveite. É grátis!

Jornal Ciência