Antidepressivos podem ajudar na guerra contra a obesidade

de Julia Moretto 0

Um antidepressivo comum poderia ser usado para ajudar as pessoas com hábitos alimentares compulsivos a escolherem alimentos saudáveis ​​em vez de lanches gordurosos, de acordo com os cientistas.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Em uma série de ensaios, pesquisadores descobriram que as pessoas que tomam citalopram, prescrito para depressão e transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), são mais propensos a escolherem alimentos saudáveis, como frutas. Ivo Vlaev, professor de ciência comportamental da Warwick Business School, que liderou o estudo, disse que a descoberta pode ajudar na luta contra a obesidade.

obesidade-620x330

Estes resultados também têm implicações para o tratamento de transtornos alimentares“, acrescentou professos Vlaev. “Descobrimos que citalopram aumentou o número de escolhas por alimentos saudáveis ​​feitos por pessoas quando comparado com um placebo. Nossos ensaios sugerem que, depois de tomar o remédio, as pessoas têm maior probabilidade de tomar decisões baseadas na saúde do que no gosto”.

No estudo, os pesquisadores deram uma pílula a 27 adultos e pediram para que escolhessem entre pares de lanches mostrados em uma tela, que vão de frutas até biscoitos de chocolate. Às vezes, havia duas opções saudáveis, às vezes dois alimentos não saudáveis ​​e, às vezes, um de cada. A pílula era uma dose única de atomoxetina, um comprimido usado para tratar o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), citalopram ou uma pílula falsa sem ingredientes ativos (placebo).

Os pesquisadores descobriram que, ao tomar citalopram, cerca de 60% das escolhas dos participantes foram saudáveis, enquanto apenas 45% deles tinham escolhas saudáveis ​​quando tomavam o placebo. O número de escolhas saudáveis ​sob atomoxetina não foi significativamente maior.

[ Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / Daily Mail ]

Jornal Ciência