Como se livrar dos 4 piores hábitos alimentares?

de Julia Moretto 0

1 – Comer besteira

Consequências: Não há problemas em comer um ou dois lanches (salgadinhos industrializados, biscoitos, etc.) por dia entre as refeições. Eles ajudam a manter os níveis de glicose estáveis e saudáveis, além de permitir que você se alimente mais de frutas e vegetais. De acordo com a nutricionista Tara Gidus, “quando você come bobagens no lugar de uma refeição é quando está mais propenso a perder a medida”. Porém, esses alimentos não são nutritivos ou satisfatórios e acaba sendo fácil consumir mais que o preciso.

Solução: para equilibrar sua energia e sua fome, faça dois lanches de 100 a 300 calorias por dia. Segundo Tara, “ao invés de um biscoito ou barra de chocolates, opte por algo que se assemelhe mais com comida de verdade, metade de um pequeno sanduíche, bolachas integrais com queijo, um punhado de nozes, uma cenoura (ou algumas cenourinhas pequenas) com húmus, iogurte com cereal”.

2 – Velocidade

Consequências: muitas vezes os problemas estomacais são gerados por engolir a comida rápido demais. Segundo a nutricionista Leslie Bonci, “você ingere ar em excesso, o que pode levar ao inchaço”. Além disso, você não pode mastigar mal: a saliva é o primeiro passo para a quebra das moléculas dos alimentos. Quanto menos tempo da boca, mais trabalho para o trato digestivo.

Comer rápido demais faz com que o cérebro não tenha tempo de alcançar o estômago. Ele necessita de 20 minutos para entender que o estômago está cheio. Segundo uma pesquisa, uma mulher que come uma refeição em 30 minutos ingere menos calorias do que uma que leva apenas 10 minutos.

Solução: procure comer em um ritmo menos acelerado. Escolha alimentos que você tenha que colocar no prato e coma com utensílios. Outra solução é apoiar os talheres na mesa enquanto o alimento estiver sendo mastigado. Beba pequenos goles de água enquanto se alimenta.

3 – Fuga

Consequências: quando algo não sai como o esperado, muitas pessoas tendem a comer. Isso faz com que o ânimo da pessoa não melhore e ela ainda ganhe peso. O alimento preferido nesses momentos são os carboidratos, que produzem triptofano – aminoácido usado pelo cérebro na produção de serotonina. De acordo com a Ph.D. Judith Wurtman, coautora do livro “The Serotonin Power Diet” (“A Dieta Poderosa da Serotonina”, em tradução livre), quanto mais o cérebro gera serotonina, mais o seu humor melhora (temporariamente!).

Solução: procure não pensar no que não te faz bem. Além disso, procure alternativas para melhorar o astral, como por exemplo, uma caminhada, um filme ou uma conversa com um amigo. Mas se mesmo assim, só os carboidratos resolverem o problema, a nutricionista Tara Gidus sugere que você procure a serotonina.

4 – Rotina

Consequências: ao realizar uma dieta, muitas pessoas seguem uma rotina nos dias da semana e estragam tudo nos finais de semana. De acordo com um estudo realizado em 2004, as pessoas que cuidavam dos seus hábitos apenas nos dias de semana, tinham 50% mais chance de ficar acima do peso do que as que seguiam o mesmo ritmo todos os dias.

Solução: socialização e comida caminham juntos, por isso é necessário criar uma estratégia para isso. Procure realizar uma pequena refeição antes de sair e seja o motorista da vez, para evitar bebidas alcoólicas. Outra alternativa é não ser tão severo consigo mesmo de segunda à sexta, para que não haja descontrole nos finais de semana.

[ CNN ] [ Fotos: Reprodução / Public Domain Pictures ]

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Jornal Ciência