1 a cada 8 adultos norte-americanos fuma maconha, segundo pesquisa

de Merelyn Cerqueira 0

De acordo com dados levantados pela Gallup, uma empresa de consultoria estratégica e análises globais, cerca de 13% dos adultos nos EUA fumam maconha.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Isso significa que os números praticamente dobraram desde 2013, quando foi relatado um total de 7%, segundo informações da Live Science. A porcentagem dos adultos que disseram nunca ter experimentado maconha também aumentou desde 2013. Em 2016, 43% dos norte-americanos disseram ter utilizado a droga pela primeira vez – um número que em 2013 estava em 38%.

Atualmente, o uso recreativo da maconha é legalizado em apenas quatros dos 50 estados do país (Colorado, Washington, Alasca e Oregon) e no Distrito de Columbia. Além disso, metade dos estados nos EUA possui alguma versão da lei que permite o uso de maconha medicinal, de acordo com a Gallup. A idade e religiosidade das pessoas desempenharam papéis fundamentais em relação ao fato de já terem ou não experimentado a droga. Aproximadamente um em cada cinco adultos com menos de 30 anos de idade disse que atualmente usam maconha, de acordo com a sondagem feita pela empresa. Em grupos etários mais velhos, os pesquisadores descobriam que nada menos do que 1 a cada 10 pessoas também afirmou consumi-la.

Quase metade dos adultos com idades entre 30 e 64 tinham consumido a droga pelo menos uma vez na vida, enquanto que apenas 38% das pessoas entre 18 e 29 anos tinham experimentado. É mais provável que os grupos mais velhos possam ter provado a droga simplesmente porque estavam mais avançados em idade, ou porque a atitude em relação a ela mudou ao longo do tempo, segundo os pesquisadores.

Os norte-americanos que disseram frequentar semanalmente igrejas eram muito menos propensos a fumar maconha do que aqueles que responderam “raramente” ou “nunca” para esse tipo de pergunta. Apenas 2% desses fiéis disseram fumar, em comparação com os 14% que não vão à igreja. Os números em relação às regiões do país também foram divergentes. No oeste dos EUA, as pessoas eram mais propensas a utilizar a droga quando comparadas às do Leste, Centro-Oeste e Sul, sendo mais evidentes em São Francisco e Denver.

Os resultados são baseados em entrevistas realizadas por telefone com mais de 1.000 adultos de todos os 50 estados e no Distrito de Columbia, entre os dias 13 e 17 de julho de 2016.

[ FonteLive Science ]

[ Foto: Reprodução / Jornal Ciência ] 

Jornal Ciência