Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Paciente com dor de ouvido há 5 dias descobre larvas carnívoras devorando seu tímpano

O homem, de 64 anos, ficou surpreso quando descobriu o motivo de suas dores de ouvido

de Redação Jornal Ciência 0

O caso aconteceu em Portugal com um paciente de 64 anos que sofria há 5 dias com fortes dores de ouvido, além de uma persistente coceira e leve sangramento, de acordo com informações da Science Times.

O caso foi relatado pelos médicos do Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos, município português, na prestigiada revista médica The New England Journal of Medicine.

O paciente não foi identificado para preservar sua imagem. A médica que o atendeu na emergência encontrou uma grande infestação de larvas carnívoras que bloqueavam o canal auditivo.

Imagem mostrando em detalhes as larvas da espécie de mosca Cochliomyia hominivorax

A otorrinolaringologista necessitou usar pinças auriculares para retirar, pouco a pouco, todos os vermes — revelando que parte do tímpano havia sido perfurado e comido pelas larvas.

Esta doença parasitária é chamada de miíase e precisa ser tratada corretamente para não causar graves danos à saúde. Casos como este podem levar o paciente à morte e devem ser acompanhados por um especialista para evitar infecção generalizada por bactérias.

Após retirar todas as larvas, todo o ouvido foi higienizado com medicamentos como ácido bórico — usado para criar um ambiente ácido hostil para o crescimento microbiano — gotas de antibiótico com corticoides, além de antibióticos orais. 

Foto real do caso do paciente

Carolina Rato, médica que atendeu o caso, comentou que a mosca entrou no ouvido e depositou seus ovos sem que o paciente percebesse, possivelmente enquanto dormia.

Larvas carnívoras de moscas

Estas larvas pertencem a mosca da espécie Cochliomyia hominivorax — muito conhecida e facilmente encontrada nos lares brasileiros. Suas larvas são famosas por, literalmente, devorarem tecidos de animais vivos e de sangue quente, como seres humanos e diversos outros mamíferos.

A mosca da espécie Cochliomyia hominivorax é encontrada facilmente em todo o Brasil

Em geral, as fêmeas botam de 250 a 500 ovos, especialmente em feridas expostas. Neste caso, a mosca entendeu que o ouvido era de um animal de sangue quente e oferecia “comida” para as larvas quando eclodissem.

Estas larvas costumam comer tudo ao redor, se alimentam fartamente dos tecidos, músculos e, neste caso, até mesmo do tímpano, visando ter um bom processo de desenvolvimento.

Após 5 ou 7 dias de alimentação, as larvas costumam “cair” no chão para se enterrarem no solo. A partir deste estágio, transformam-se em pupas entre 3 e 5 dias para, então, saírem do solo já como moscas.

Podem ser encontradas em todos os países da América Central e do Sul, incluindo as ilhas. Mas, também ocorrem em outros países de outros continentes.

Embora a doença miíase causada pelas larvas carnívoras seja associada diretamente com países pobres e com baixos níveis de acesso ao saneamento básico, este não era o caso do paciente citado.

Fonte(s): NewsWeek / The New England Journal of Medicine Foto(s): Reprodução / Brazilian Journal of Case Reports e Redes Sociais

Jornal Ciência