Jovem decide sair e conhecer o mundo antes de perder visão e audição para sempre

Marie, uma jovem francesa, sofre de uma doença que aos poucos vai lhe causando cegueira e surdez total.

de Thuany Motta 0

Marie é uma jovem francesa cheia de vida, que vislumbra um dos desafios mais difíceis de sua existência: viver sem dois de seus sentidos. Acontece que ela, moradora da cidade de Autun, na França, sofre da síndrome de Usher, doença que causa perda progressiva da visão e da audição.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Marie foi diagnosticada quando era criança, o que fez com que precisasse usar aparelhos auditivos e óculos desde os 5 anos de idade. Ela sempre teve certeza de que perderia ambos em algum momento de sua vida, então, decidiu aproveitá-los ao máximo.

A jovem francesa sempre quis viajar pelo mundo e decidiu começar uma volta ao planeta ao lado de Corentin, seu namorado, há cerca de três anos.

Eles se conheceram em Quebec (Canadá), quando os dois moravam lá, e economizaram durante 10 anos para poderem fazer a viagem. O casal vendeu todos os seus pertences e comprou um caminhão equipado para ser usado como uma casa.

Desde a decisão, o ritmo tem sido frenético: eles começaram a viagem em junho de 2018 e já visitaram 25 países, incluindo Japão, Finlândia, Filipinas, Emirados Árabes Unidos e Estados Unidos, entre outros. 

“Não é natural adiarmos nenhum dos nossos planos. Além disso, a evolução incerta da minha doença reforça aquela tendência natural de viver no presente”, disse Marie ao site France 3.

É claro que a pandemia de Covid-19 também teve consequências nos planos do casal: os dois estavam no Canadá e planejavam ir de carro à Patagônia, mas em março do ano passado decidiram voltar à França e esperar que a situação se acalmasse.

E, como tudo ainda estava muito complicado por causa das medidas de isolamento social, aproveitaram para voltar seis meses depois ao Canadá para repatriar o caminhão e estão esperando impacientemente para recomeçar suas aventuras.

O mais bonito de tudo é a tranquilidade e a esperança com que Marie encara o seu futuro.

Marie sabe que mais tarde terá muitos impedimentos que a farão viver de uma forma diferente, por isso, faz uso extensivo do clichê de “aproveitar o presente o máximo possível”, usando-o como uma desculpa muito válida para sair e viajar pelo mundo.

Se isso não é um exemplo de bravura e desprendimento, não sabemos o que é!

Fonte(s): Upsocl Imagens: Reprodução / Facebook

Jornal Ciência