Jovem com câncer de língua não procurou médico por vergonha pensando ser Infecção Sexualmente Transmissível

Ela evitou procurar cuidados médicos no início dos sintomas com medo de ser julgada pelos médicos

de Redação Jornal Ciência 0

Olivia Wallace, à época com 20 anos, não percebeu que estava observando um sinal de alerta vermelho para um câncer de língua que poderia ter sido tratado antes que se espalhasse.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Hoje, com 26 anos, compartilhou sua história com o jornal britânico The Sun para alertar outras pessoas sobre os riscos de ignorar sintomas iniciais.

Ela levou 7 meses após observar uma mancha em sua língua para criar coragem e procurar um médico. Para Olivia, a mancha era alguma IST (Infecção Sexualmente Transmissível), antigamente chamada de DST.

Após um tempo, a úlcera formada causou dor cada vez que comia. Somente após isso começou a se preocupar e buscou ajuda, sendo informada que possuía um câncer de língua em estágio 4 que havia se espalhado pelos gânglios linfáticos.

Olivia compartilhou fotos de uma grande cicatriz no pescoço, onde foi operada para remover o câncer que se espalhou. Ela acredita que compartilhando sua história pode ajudar outras jovens a não terem medo de conversar abertamente com um médico sobre intimidade sexual.

Depois de fazer quimioterapia e radioterapia para tratar a doença, somente agora ela pode dizer que está livre do câncer, 6 anos após o início de seu acompanhamento clínico.

“O nódulo estava crescendo e eu me convenci de que era uma infecção sexualmente transmissível, então me fechei e não fui ao médico por 7 meses. Existe um estigma associado a mulheres jovens e doenças sexuais e então isso me impediu de ser examinada, embora estivesse assustada com os sintomas”, afirmou.

De acordo com os médicos, se ela tivesse esperado mais um mês para buscar ajuda e realizar os exames, talvez não tivesse sobrevivido. O tumor deixou sua língua maior e inchada, mas ela jamais imaginou ser câncer.

Este tipo de câncer tem menos probabilidade de afetar jovens do que adultos mais velhos — mas quando isso acontece e o paciente demora a investigar os sintomas, pode ter um impacto devastador.

Quais os sinais de câncer na área bucal?

Preste atenção ao aparecimento de sintomas como úlceras na boca, manchas vermelhas ou brancas, caroços “estranhos” que não existiam antes, inchaço, rouquidão sem motivo, e até mesmo dentes “bambos”.

Somente no Reino Unido, nos últimos 20 anos dobraram os casos de câncer de boca — sendo que 1 pessoa é diagnosticada por hora com a doença.

Os sintomas iniciais do câncer de língua são, geralmente, confundidos pelos pacientes como uma simples “afta”. Foto: Reprodução / Italian Journal of Dental Medicine

O NHS britânico informou que o câncer de boca é difícil de ser diagnosticado porque o tumor se desenvolve no revestimento da boca. Os sinais não são simples de serem percebidos e um especialista precisa realizar exames para confirmação.

O NHS ainda reforçou que, ao contrário do que muitos pensam, qualquer pessoa pode ter um câncer de boca e todos devem sempre observar a saúde bucal de uma forma geralO câncer bucal pode surgir na língua, no interior das bochechas, no céu da boca, na parte interna dos lábios e até mesmo nas gengivas.

Fonte(s): The Sun Imagens: Reprodução / The Sun / NCJ Media / Italian Journal of Dental Medicine

Jornal Ciência