Iraque bate recorde com calor insuportável de 52ºC na sombra

Na capital Bagdá, foram exatos 51,8ºC. Alguns locais do país a mínima foi de 45 ºC

de Redação Jornal Ciência 0

O Iraque vive uma verdadeira calamidade com temperaturas impressionantes. Mesmo sendo tradição o verão iraquiano ser bastante quente, ninguém esperava 52ºC na sombra!

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Segundo informações da agência France-Presse, o desespero pelo calor esta semana foi tão grande que um morador da cidade de Al Hilla, sul de Bagdá — um dos poucos locais com eletricidade —, colocou seu filho bebê na geladeira para tentar amenizar a situação.

O país está às escuras e apenas uma pequena parte do sul possui eletricidade, impedindo a população de ter acesso ao ar-condicionado, geladeira e ventilador — aumentando ainda mais a sensação térmica.

Vários comerciantes em todo o país resolveram tomar atitude de forma solidária e instalaram canos e mangueiras de água por quase todo o país para que as pessoas pudessem se molhar.

O Iraque vive há anos em uma intensa crise política no setor elétrico e petroleiro. Na cidade de Basra, a sensação térmica é muito maior pela altíssima umidade do litoral, o que obriga o governo a decretar feriados para que os carros não circulem.

Muitos adultos colocam bebês e crianças para dormirem no chão, onde tem uma temperatura mais amena e os pais não conseguem dormir à noite, pela falta de eletricidade para aliviar o calor.

Cada vez mais recordes são quebrados em todo o mundo, ano após ano, demonstrando a importantíssima pauta sobre o aquecimento global e a cadeia climática interligada que afeta a todos no planeta.

Fonte(s): Correio Brasiliense Imagens: Reprodução / Tempo.com

Jornal Ciência