Hoje é Dia Mundial de Luta contra a AIDS: fatos sobre a epidemia que já matou mais de 35 milhões

O dia visa sensibilizar as pessoas para uma das datas mais importantes no mundo na área da saúde e prevenção.

de Redação Jornal Ciência 0

No dia 1 de dezembro comemora-se o Dia Mundial da AIDS, uma data que visa aumentar a conscientização sobre o HIV, alertando para os riscos envolvidos, mas desmistificando sobre o preconceito e trazendo conhecimento de prevenção.

O Dia Mundial da AIDS foi celebrado pela primeira vez em 1998 na Cúpula Mundial de Ministros da Saúde no âmbito dos programas de prevenção da AIDS. Foi a Organização Mundial da Saúde (OMS) que propôs esta iniciativa com o apoio da Assembleia Mundial da Saúde e da Assembleia Geral das Nações Unidas.

Segundo dados da OMS, desde 1988, estima-se que mais de 35 milhões de pessoas morreram por complicações dessa doença, considerando o vírus a causa de uma das epidemias mais letais já registradas.

Em 2004, foi criado o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV / AIDS, denominado UNAIDS. Sete anos depois, este órgão decidiu adotar um novo nome para este dia, chamando-o de Dia Internacional de Ação contra a AIDS, para evitar conotações negativas.

Como a AIDS afeta o sistema imunológico?

AIDS é uma doença causada pelo vírus HIV. Isso afeta o sistema imunológico, deixando o corpo vulnerável a infecções e doenças graves com altos níveis de letalidade. É importante entender que HIV e AIDS são termos diferentes.

Uma pessoa com o vírus HIV não necessariamente tem ou terá AIDS. Com o tratamento correto com medicamento antirretrovirais e disciplina no uso, é possível manter o vírus no patamar chamado indetectável no sangue que, além de evitar o surgimento da AIDS, ainda impede a transmissão para outras pessoas.  

Segundo estudos do UNAIDS, muitos pacientes que têm HIV e recebem os cuidados médicos e orientações corretas, podem continuar suas vidas de modo normal, mantendo certos cuidados. Por isso, é muito importante o diagnóstico precoce do vírus e o rápido início do tratamento.

Como o HIV se espalha?

Este vírus é transmitido por relações sexuais, secreções vaginais, sêmen e secreção pré-seminal (o líquido que antecede a ejaculação e, em geral, tem cor transparente quando ocorre excitação do pênis). Outras formas de contágio são a amamentação e contato direto com o sangue.

O HIV não se transmite pela saliva, água, comida, suor, lágrimas, proximidade corporal, abraços, entre outras dinâmicas.

A OMS afirma que a prevenção é a melhor forma de combater o HIV e, portanto, a AIDS. O uso de preservativo é fundamental em todas as fases da relação sexual.

Por outro lado, é importante não compartilhar objetos cortantes, como agulhas, com outras pessoas — outra forma de contaminação, especialmente entre usuários de drogas que costumam usar destes métodos.

Atualmente a AIDS não tem cura, mas tem tratamento com medicamentos extremamente modernos, chamados de “antirretrovirais”. Eles previnem a multiplicação do HIV. Desta forma, age para barrar o vírus e evitar que destrua as defesas do corpo.

Segundo estudos da UNAIDS, 37,5 milhões de pessoas vivem com o HIV no mundo (dados de 2020) e entre 6 a 9 milhões de pessoas não sabem que são portadoras do vírus. Somente em 2020, a AIDS matou mais de 690.000 pessoas.

Teste como método de prevenção

Um dos segredos para evitar a transmissão desse vírus é saber quem o possui. Existem testes rápidos e os tradicionais de laboratório que conseguem detectar a presença do HIV — oferecidos gratuitamente em todo o Brasil pelo SUS.

Os desafios de 2021

A cada ano a organização World Aids Campaign (WAC) se encarrega de apresentar o slogan que vai comemorar esta data. O tema deste ano é “Acabando com as Desigualdades. Acabar com a AIDS. Acabar com as pandemias”.

Esse slogan busca conscientizar os países para que garantam o acesso seguro e não discriminatório à testagem, além de tratamentos adequados para garantir a qualidade de vida de quem tem HIV e evitar o desenvolvimento e adoecimento pela AIDS. Além disso, busca interromper a transmissão com métodos abrangentes de educação sexual para todos os cidadãos.

Neste Dia Mundial de Luta contra a AIDS, é importante atender às necessidades de igualdade de acesso ao sistema de saúde para todas as pessoas, permitindo acesso à informação correta e medicamentos, diminuir o desconhecimento das características do vírus e reduzir o preconceito contra os pacientes.

Fonte(s): La Nacion Imagens: Divulgação / Câmara

 

Notícias diretamente no seu WhatsApp

Salve (61) 983026534, mande "oi" pelo WhatsApp e receba notícias, curiosidades e conteúdos incríveis do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Obs: É necessário salvar o número e enviar “oi” no WhatsApp para validar o cadastro. Em nenhuma hipótese enviaremos spam ou publicidade. Já são 25.550 leitores cadastrados. É gratuito!

Jornal Ciência