Grávida que posou com mais de 20 mil abelhas na barriga para tirar fotos perde bebê

de Merelyn Cerqueira 0

Emily Mueller, 33 anos, de Ohio, EUA, viralizou na internet em agosto deste ano após fazer um ensaio fotográfico posando com mais de 20 mil abelhas em sua barriga grávida.

No entanto, recentemente ela voltou a publicar em suas redes sociais anunciando que seu bebê teria nascido morto, de acordo com informações da revista People.  

“Nosso bebê morreu. Nosso bebê nunca irá para casa conosco”, escreveu ela. “Este maravilhoso bebê arco-íris com o qual fomos abençoados tornou-se uma tempestade em nossas vidas”. 

“Descobrir que seu bebê morreu é inexplicável. Aprender que você precisa ser induzida a entregar uma criança falecida vai muito além do que parece”, acrescentou. “Meu coração está partido e junto com qualquer outra mulher que tenha dado à luz um natimorto”, disse.

filho-de-gravida_1

Emily, que é mãe de Cadyn, 10 anos, Madelynn, 3, e Westyn, 1, contou ainda que um dia antes de se preparar para o parto, notou a falta de movimentação do bebê dentro da barriga.

“À noite, comecei a perceber que não sentia que o bebê estava se movendo muito e tinha contrações diferentes das que tive antes”, escreveu ela. “Quando o tempo passou, me senti desconfortável com isso”.

Neste ponto, ela e o marido, Ryan Mueller, 37 anos, decidiram ir ao hospital para verificar os batimentos cardíacos. Foi então que descobriram que o filho havia morrido poucos dias antes da data do parto.

“Realmente pensei que seríamos enviados para casa com um sorriso, ouvindo que esperássemos a chegada do nosso doce Emersyn”, escreveu ela no post. “Eu não posso e não quero explicar esse sentimento a ninguém. Voltar-se ao seu próprio marido e vê-lo morrer por dentro, completamente quebrado, ver seus filhos sentir e sofrer sua dor na frente de seus olhos. Essa dor é insuportável”, acrescentou.

filho-de-gravida_2

Emily, que é apicultora e dona da Mueller Honey Bee and Rescue, ingressou no ramo como uma forma de lidar com os traumas sofridos por vários abortos espontâneos.

“As abelhas representam o início de uma nova vida e depois do meu segundo aborto espontâneo, eu precisava de uma nova versão dela”, disse ela à People em setembro. “Eu me liguei às abelhas e isso ajudou a tirar minha mente de outras dificuldades que me rodeavam no momento. Algumas pessoas fazem yoga, eu interajo com abelhas”.

Logo, porque nunca havia se sentido mal com as picadas, decidiu fazer o ensaio em meio às abelhas. “Todo mundo que eu perguntei disse não haver pesquisas que mostravam que a picada de abelha poderia afetar um feto”, explicou. “Foi uma jornada espiritual”, disse ela acrescentando que foi picada quatro vezes durante o ensaio. “As fotos eram tudo o que eu queria e representava nossa família com muita precisão”.

Mueller acredita que seu bebê morreu devido a uma questão de coagulação do sangue, algo que ocorreu em seus abortos prévios. “Tenho uma sensação muito forte de que esta era uma questão de coagulação do sangue, pois essas características estão afetando nossa família há algum tempo”, escreveu ela – embora sem embasamento médico para suas afirmações.

O casal decidiu enviar amostras da placenta a um laboratório para realizar testes. No entanto, disseram estar preparados para a possibilidade de que talvez nunca conheçam a causa da morte da criança.

Fonte: People Fotos: Reprodução / People

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
error: Proibida a cópia sem autorização.