Disforia Pós-Coito: Chorar após orgasmo ou ficar triste é normal?

De acordo com um estudo publicado na Psychology Today, 41% dos homens pesquisados já apresentaram o problema

de Redação Jornal Ciência 0

O sexo é uma parte necessária e permanente da vida da maioria dos adultos — sendo considerado um ponto importante de uma vida saudável e plena.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

As relações sexuais não são necessárias apenas para a reprodução humana, mas também uma fonte de prazer. Mas, este não é o caso das pessoas que têm um problema chamado Disforia Pós-Coito.

A euforia é um sentimento de alegria e felicidade excessiva, mas o oposto disso é a disforia. As elevações eufóricas de alegria e prazer que ocorrem em uma relação sexual, também ocorrem no caso de disforia, mas no momento do clímax, o cérebro promove uma resposta química que causa uma “queda emocional” igualmente intensa.

O cinema costuma retratar mulheres que após o orgasmo caem em lágrimas, rotulando e associando pejorativamente ao fato de serem mais emocionais que os homens, como se fossem acometidas por um sentimento avassalador após o ato de amor.

No entanto, um estudo dos pesquisadores e psicólogos Joel Maczkowiak e Robert Schweitzer com 1.200 voluntários do sexo masculino começou a desmascarar essa noção. Cerca de 41% dos homens no estudo relataram ter experimentado essa Disforia Pós-Coito.

Após as descobertas, os cientistas queriam saber quais eram os diversos fatores que estimulavam a ocorrência da Disforia Pós-Coito. Segundo eles, condições de saúde mental pré-existentes, como ansiedade ou depressão, histórico pessoal de abuso sexual ou disfunções fisiológicas podem ser a causar do choro após o orgasmo.

Os homens do estudo, publicado na Psychology Today, relataram sentir vergonha ao chorar após um orgasmo. Apesar disso, a sexóloga Nayara Malnero explicou, de acordo com o jornal El Tiempo, que as lágrimas não vêm apenas de um sentimento de tristeza, mas podem também ser decorrentes da felicidade do momento.

O que acontece no cérebro?

Devido à liberação de dopamina (um neurotransmissor) no cérebro quando o orgasmo é atingido, para neutralizar o efeito de alegria extrema produzida, a prolactina — um hormônio — também é produzida. Este hormônio é responsável por gerar tristeza ou depressão pós-coito.

A prolactina é conhecida por ter como principal função a estimulação da produção de leite nas mulheres, mas este hormônio também é produzido nos homens.

Se uma pessoa produz prolactina em excesso, pode levar à perda de libido, secura vaginal nas mulheres e infertilidade nos homens, além dos sintomas de tristeza e choro após o orgasmo que podem ocorrer, inclusive, após a masturbação.

Segundo psicólogos especialistas em sexo, lágrimas após orgasmo não devem ser motivo de vergonha e o parceiro precisa encarar naturalmente, pois metade das pessoas já experimentou, pelo menos uma vez, sintomas de tristeza, angústia, sensação de arrependimento ou choro após um orgasmo.

Fonte(s): El Tiempo Imagens: Reprodução / IndiaMed

Jornal Ciência