Asteroide potencialmente perigoso passará perto da Terra amanhã, quinta-feira, alerta a NASA

A rocha espacial viaja a uma velocidade de 37.400 km/h, equivalente a 30x a velocidade do som. O asteroide foi classificado como “potencialmente perigoso” pela própria NASA

de Redação Jornal Ciência 0

A NASA emitiu um alerta informando que um gigantesco asteroide “potencialmente perigoso” — classificado assim pela própria agência deve passar perto da Terra amanhã, quinta-feira (28/04).

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

O asteroide chamado 2008 AG33 (ou apenas 418135) tem um diâmetro estimado entre 350 e 780 metros. A gigantesca rocha espacial foi descoberta em 2008 e, desde então, é monitorada pela NASA.

Amanhã o asteroide entrará na órbita da Terra a uma velocidade vertiginosa de 37.400 km/h. Cientistas da NASA estimaram que o asteroide vai “passar perto” do nosso planeta, mas sem nenhum risco de impacto.

A NASA tem suas classificações sobre o perigo que um asteroide representa. Qualquer corpo espacial que esteja a 193 milhões de quilômetros da Terra é classificado como um “objeto próximo à Terra”.

O mesmo ocorre quando qualquer objeto extremamente rápido se aproxima até 7,5 milhões de quilômetros da Terra, sendo chamado pela NASA como “potencialmente perigoso” — o que é o caso deste asteroide.

Após os asteroides serem encontrados, os astrônomos os monitoram de perto, procurando quaisquer desvios de seu caminho previsto que possam colocá-los em rota de colisão com a Terra.

Em sua rota de passagem mais próxima da Terra, o asteroide 2008 AG33 passará a 3,2 milhões de quilômetros de nós, algo equivalente a 8x a distância entre a Terra e Lua.

Viajando a 30 vezes a velocidade do som, parece algo muito distante, mas quando falamos de padrões astronômicos, o asteroide passará “perto demais”, mas ainda sim dentro dos limites que permitem não haver impacto.

Estudos astronômicos mostram que este asteroide passa próximo do nosso planeta a cada 7 anos. Seu próximo sobrevoo por nós estimado é 25 de maio de 2029.

Se os astrônomos conseguirem, um dia, detectar um asteroide de proporções consideráveis em rota de colisão com a Terra, já existem protocolos de agências espaciais de todo o mundo para encontrar a melhor forma de desviá-lo antes que chegue perto demais.  

Em 24 de novembro de 2021, a NASA lançou uma espaçonave como parte de sua missão de teste de redirecionamento de asteroides, que planeja redirecionar um asteroide não perigoso, desviando-o de seu curso. A China também está nos estágios iniciais de planejamento de uma missão de redirecionamento de asteroides.

Após lançar 23 foguetes Long March 5, contra o asteroide Bennu, a China anunciou que “poderia desviar uma rocha espacial de impacto potencialmente catastrófico para a Terra”, podendo ajudar a humanidade a escapar de um impacto que poderia significar a extinção humana.

Fonte(s): Infobae Imagens: Reprodução / Pixabay

Jornal Ciência