Deveríamos estar tentando colonizar Vênus ao invés de Marte?

de Merelyn Cerqueira 0

venus-terra-comparacao_01

Por mais que ainda não haja evidências de que Vênus seja habitável, o planeta já foi considerado semelhante à Terra, sendo apontado como nosso “gêmeo”.

 

No entanto, diferente de Marte, ele está milhões de quilômetros mais próximo de nós. Então, por que não estamos interessados em colonizá-lo?

 

Em um episódio do canal Space Times, no YouTube, especialistas explicam que há uma enorme disparidade entre as atenções recebidas por Marte e Vênus, tanto das agências espaciais, quanto na cultura popular. E, de fato, isso pode ter causado grande impacto sobre a política em torno da exploração espacial, segundo informações da Science Alert.

Marte é o queridinho

Atualmente, os governos americano e chinês praticamente só estão interessados em uma coisa: enviar missões tripuladas a Marte. Alguns bilionários já se mostraram dispostos a pagar grandes quantias de dinheiro pelo seu próprio pedaço de terra em Marte, e até mesmo a NASA já começou a procurar potenciais colonizadores.

 

O mesmo não é visto em Vênus. Não há missões tripuladas com destino ao planeta e tampouco discussões sobre. Tudo fica ainda mais estranho quando consideramos que ele está a pouco mais de 14 milhões de quilômetros mais próximo da Terra do que Marte e todo o processo de viagem seria feito de forma mais rápida e com menores custos. Uma viagem de ida e volta até lá seria 30 a 50% mais rápida do que para Marte. Basta considerar a quantidade de comida, combustível e tempo economizada – especialmente quando estamos pensamos em levar suprimentos suficientes para criar um ambiente habitável – que você verá como a ideia é mais viável.

 

Vênus também está mais próximo do Sol, o que lhe dá quatro vezes mais potencial de energia solar do que Marte. Sua espessa atmosfera ainda oferece melhor proteção contra a radiação e meteoritos do que a camada protetora do Planeta Vermelho. A gravidade ali também é muito parecida com a da Terra, o que significa que os colonizadores provavelmente experimentariam menos efeitos negativos sobre os ossos. O mesmo não pode ser aplicado a Marte.

 

Por que não colonizamos Vênus?

Desde a época das colonizações, temos a obsessão por plantar bandeiras em solos. Se isso não fosse feito, era quase que como se não tivéssemos passado por ali. Vênus, por sua vez, até possui uma superfície. O problema é que nenhum humano pode pisar nela. Há ainda um pequeno problema com a temperatura. A presença de dióxido de carbono (CO2) é tão grande que cria uma espécie de efeito estufa, deixando a superfície dali mais quente do que 450°C.

 

Contudo, o maior problema é a pressão barométrica da superfície, equivalente a mais de 90 atmosferas terrestres. Isso significa que, pousar na atmosfera de Vênus seria como mergulhar para cerca de um quilômetro dentro da água, algo muito além da profundidade de queda da maioria dos submarinos militares. Por esse motivo, a maioria das sondas enviadas pela NASA e até mesmo por soviéticos, acaba implodindo ao tocar o solo.

 

Ao tomar isso como lição, as agências conseguiram criar sondas reforçadas, que até foram capazes de tocar o chão para enviar imagens do local. No entanto, elas só conseguiram durar cerca de duas horas antes de serem completamente destruídas.

 

A obsessão humana por superfícies  

Conforme é dito no vídeo, o ponto da questão é a obsessão que temos por superfícies, o que foi descrito por eles pela expressão “surfacism”.  O fato de que nós não podemos viver no solo de Vênus poderia ajudar a explicar o porquê de Marte receber toda a atenção. Contudo, se a superfície de Vênus pode nos matar, por que considerar ir até lá em primeiro lugar?

HAVOC

Acima de 30 ou 50 quilômetros do chão, algumas coisas interessantes podem acontecer ali. Primeiro, a temperatura cai para cerca de 70°C, o que ainda é bem quente. Porém, a pressão em tal altitude também cai, para quase uma atmosfera terrestre. Isso significa que os humanos poderiam passear pelos ares utilizando máscaras de oxigênio, mas não com as roupas espaciais convencionais. Logo, de todos os planetas existentes no Sistema Solar, a parte mais alta da atmosfera de Vênus é considerada o mais próximo que temos do ambiente da Terra.

 

Dessa forma, até faz sentido colonizar o planeta, mas com cidades construídas sobre as nuvens. Apesar de soar como tema de filmes Sci-Fi, a própria NASA já considerou a ideia e até construiu um modelo conceitual para ela. Eles o chamam de The High Altitude Venus Operational Concept (HAVOC) e o projeto está sendo levado a sério pela agência.

 

Em suma, a questão da gravidade faz de Vênus a possibilidade mais viável para colonização humana de longo prazo. Em um futuro próximo, se aprendermos como sequestrar carbono suficiente da superfície do planeta, poderemos, quem sabe, plantar uma bandeira ali.

[ Science Alert ] [ Fotos: Reprodução / Science Alert / Wikimedia ]